Problemas e vaias transformam Pokémon GO Fest em um desastre

Por Redação | 24.07.2017 às 11:13

O final de semana deveria ter sido de festa e personagens Lendários para os participantes do Pokémon GO Fest, que foi realizado em Chicago, nos Estados Unidos. Mas o que se viu, na verdade, foi uma verdadeira decepção quando os servidores que suportam o game não aguentaram a carga de usuários, o que levou a Niantic a ressarcir todos os ingressos vendidos e entregar prêmios de consolação aos participantes.

A admissão de derrota, inclusive, veio durante o próprio evento, que reuniu cerca de 20 mil pessoas no Grant Park, em Chicago. Eles já se encontravam aglomerados no lugar desde as primeiras horas da manhã, mas quando os portões se abriram, boa parte deles não foi capaz de acessar o game. Para piorar as coisas, essa seria a primeira vez que Pokémon Lendários apareceriam no game, mas muitos dos que estavam lá não viram nem sombra dos monstrinhos especiais.

A decepção gerou vaias ao CEO da Niantic, John Hanke, que subiu ao palco para agradecer à presença de todos e informar que os problemas já estavam sendo analisados. Não demorou para que a empresa admitisse que a falha era mais complicada do que parecia, e, antes mesmo de encerrar o dia, a empresa já informou que ressarciria o valor dos ingressos de todos os participantes – mesmo os poucos que conseguiram, efetivamente, jogar –, além de entregar uma série de itens de consolação.

A ideia era garantir que quem não conseguiu jogar não deixasse o espaço sem aquilo que foi lá buscar. Por isso, além de devolver o dinheiro das entradas, a Niantic adicionará automaticamente o Lendário Articuno a todos os participantes do Pokémon GO Fest e dará US$ 100 em créditos do jogo para todos eles, além de estender temporariamente, até esta segunda-feira (24), o raio de alcance dos ginásios no interior do Grant Park, de forma a garantir que os Lendários presentes lá sejam capturados.

As recompensas que seriam disponibilizadas aos jogadores de todo o mundo também foram entregues, mesmo que a participação tenha sido menor do que a exigida por conta dos problemas. Até as 21h desta segunda (24), no horário de Brasília, estão em vigor recompensas como candies e experiência em dobro, além de uma redução de 70% na distância de caminhada exigida para chocar ovos. Articuno e Lugia também estão aparecendo para todos, em raids lendárias, e continuarão a surgir mesmo após o fim do período.

Durante o Pokémon GO Fest, não apenas as falhas no servidor e problemas de recepção celular foram inimigos dos treinadores. Por mais que cerca de 20 mil pessoas tenham comparecido ao evento presencialmente, rumores apontam para centenas de milhares de conectados aos servidores locais de todas as partes do mundo, usando aplicativos que falsificam a localização do GPS como forma de capturarem monstrinhos e recompensas exclusivas dos usuários de Chicago.

O “fake GPS”, inclusive, é um problema que a Niantic vem tentando combater, sem muito sucesso. Tais usuários são capazes de simular estarem em outro local, que não o real, subvertendo algumas das mecânicas do jogo, como os eventos exclusivos do Pokémon GO Fest, por exemplo, ou capturando monstrinhos que só aparecem em algumas regiões. Mecanismos da própria empresa, além dos sistemas operacionais iOS e Android, tentam impedir a prática, mas, como sempre, os hackers caminham mais rapidamente que as soluções oficiais.

Enquanto isso, o desastre tecnológico gera preocupações com relação a outros acontecimentos relacionados ao título, já marcados pela Niantic. Ao longo dos próximos meses, sete cidades da Europa também receberão eventos relacionados a Pokémon GO e o temor dos usuários, principalmente daqueles que compraram ingressos e pretendem viajar, é que as falhas se repitam e voltem a atrapalhar a experiência.

Fonte: Niantic