Pokémon GO: como usar o sistema de pet virtual do jogo

Por Felipe Demartini | 26 de Janeiro de 2020 às 20h00
Tudo sobre

Niantic

Saiba tudo sobre Niantic

Ver mais

Pokémon GO começou o ano adicionando mais um recurso que amplia a experiência entre treinadores e seus personagens preferidos. Chamado de Sistema de Companheirismo, o novo sistema funciona mais ou menos como os antigos bichinhos virtuais, permitindo que o jogador amplie sua conexão com os monstrinhos, tirem fotos e andem com eles pelo mapa, obtendo pontos de experiência, itens extras e outras vantagens.

A novidade está disponível para todos os jogadores de Pokémon GO que estejam no nível 10 ou superior. O Sistema de Companheirismo exige atenção constante, afinal de contas é preciso alimentar e brincar com o pet virtual para que ele realize as funções desejadas, e quanto maior o elo entre você e ele, melhores os benefícios recebidos a partir dessa parceria.

Pokémon GO: como usar o recurso de pet virtual

O sistema de pet virtual de Pokémon GO pode ser acessado a partir da tela inicial do game, por meio do botão que traz a imagem de seu companheiro. Caso não tenha um, você poderá adicionar um Pokémon ao espaço dessa mesma forma, com a interface indicada também permitindo a troca do bichinho virtual por outro, caso o usuário assim deseje.

O recurso também indica o que é preciso fazer para aumentar o elo entre o Pokémon e você, como andar pelo mapa (também o principal recurso de jogabilidade do game) e alimentar o monstrinho sendo as principais maneiras de melhorar essa amizade. Tirar uma foto do personagem usando a câmera e o sistema de realidade aumentada do jogo, usar o companheiro em uma batalha ou andar com ele até uma Poképarada nunca visitada também funcionam aqui.

Indicadores de tarefas indicam o que é necessário para aumentar o vínculo entre o treinador e o pet virtual de Pokémon GO (Imagem: Reprodução/Felipe Demartini)

Todo esse processo é calculado em corações que indicam o nível de parceria entre treinador e o pet virtual. Alguns quesitos também variam de acordo com o Pokémon escolhido para a função — espécies mais raras, por exemplo, podem exigir que a caminhada seja maior para a obtenção de itens ou pontos, enquanto contar com a ajuda de outros pode fazer com que o usuário tenha que dar mais atenção ao monstrinho com brincadeiras ou fotos.

Como dito, alguns desses sistemas exigem uma interação constante do usuário. É o caso da alimentação, por exemplo, com uma barra que vai diminuindo com o tempo e, caso chegue ao fim, fará com que o pet virtual não mais seja mostrado no mapa, reduzindo também o nível de amizade com o jogador. Para que ele volte, basta dar comida, usando as frutas e berries que são coletadas em Poképaradas e outros pacotes de itens do game.

É preciso dar comida na boca do pet virtual de Pokémon GO e ficar atento para saber se eles gostam de carinho constante ou não (Imagem: Reprodução/Felipe Demartini)

Para dar comida a seu Pokémon, basta selecionar a opção indicada na tela e selecionar qual fruta será dada a ele. Aqui, um sistema semelhante ao de captura entra em ação, sendo preciso mirar a berry na boca do pet virtual — caso erre, o item será perdido. No modo de realidade aumentada, basta tocar na tela para acariciar o bichinho, o que é considerado pelo game como uma brincadeira. Vale a pena ficar de olho nas expressões do personagem, pois alguns podem não gostar de serem tocados constantemente.

Para entender as necessidades de seu companheiro, o ideal é ficar atento à parte inferior da tela inicial, onde estarão indicadores rápidos sobre a situação atual dele. Uma barra ao redor da imagem do Pokémon, por exemplo, indica o nível de “fome” do pet virtual, enquanto balões de fala podem indicar interesses específicos como a vontade de tirar uma foto ou o gosto por frutas de um determinado tipo.

Pokémon GO: níveis de amizade

Indicadores na tela exibem as principais necessidades do pet virtual de Pokémon GO, bem como seu humor, para mostrar a necessidade de interação com o usuário (Imagem: Reprodução/Felipe Demartini)

O Sistema de Companheirismo de Pokémon GO conta com quatro níveis, que vão sendo alcançados na medida em que o elo entre monstrinho e jogador vão se estreitando. Cada um deles conta com vantagens especiais que vão sendo liberadas na medida em que esse laço se torna mais forte:

  • Bom companheiro: o Pokémon passa a aparecer no mapa;
  • Ótimo companheiro: o pet virtual ajuda na captura de outros monstrinhos e também pode trazer itens até o jogador;
  • Ultracompanheiro: o personagem indicará lugares interessantes nos arredores e itens especiais exclusivos;
  • Melhor companheiro: o Pokémon recebe uma faixa que indica esse status, além de ter força maior durante combates em ginásios e raides sempre que estiverem selecionados como parceiros.

Além disso, outros benefícios são abertos sempre que o Pokémon estiver bem-humorado, ou seja, alimentado e atendido em suas necessidades. Tais vantagens são aleatórias e podem variar entre os personagens, mas normalmente, consistem em diminuições na quilometragem necessária para a obtenção de doces ou uma aceleração no ritmo de recebimento de corações por atividade, retroalimentando o Sistema de Companheirismo e facilitando na criação da amizade com o seu pet virtual.

É possível criar vínculos com mais de um personagem, mas não ao mesmo tempo, já que Pokémon GO permite que o jogador tenha apenas um companheiro ativo por vez. Realizar a troca não faz com que o elo criado seja perdido, mas somente 20 substituições podem ser feitas por dia e, mesmo desativados, os monstrinhos continuam sentindo fome e tendo necessidades que precisam ser satisfeitas, mas cujas notificações não serão mostradas.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.