Empresa quer trazer os cartuchos de volta, mas para o seu smartphone

Por Redação | 23.09.2015 às 14:08

Lembra-se de quando você precisava de um Game Boy para jogar video game fora de casa? Pois o tempo passou e a ideia de sistema evoluiu a ponto de o seu próprio celular virar seu companheiro de aventura. Porém, como sempre existe algum saudosista para ressuscitar algumas antiguidades, alguém decidiu trazer de volta os bons e velhos cartuchos — mas com uma roupagem bem mais atual.

Durante a última Tokyo Game Show, na semana passada, a startup japonesa Beatrobo mostrou o chamado Pico Cassette, um pequeno cartucho que pode ser conectado em seu smartphone a partir da entrada para fones de ouvido. E o seu funcionamento é bastante simples: basta colocá-lo em seu aparelho para ter acesso ao game.

O curioso é que, ao contrário do que aparenta, o Pico Cassette não traz o jogo em si. Na verdade, a pequena fita é apenas um detalhe nostálgico. Segundo o site The Verge, não há nenhum jogo armazenado dentro do cartucho e ele serve apenas para liberar o acesso àquele determinado título e aos demais conteúdos baixados.

Ao plugá-lo em seu smartphone, ele emite um som inaudível que vai fazer a autenticação com o aplicativo correspondente, ativando seu funcionamento. À primeira vista, parece apenas uma inutilidade para pegar dinheiro de bobo ou mais uma daquelas medidas antipiratarias que mais atrapalham do que ajudam, mas a fitinha também tem seu valor.

A grande vantagem do Pico Cassette é que ele permite que você salve o progresso de um jogo no cartucho, podendo acessá-lo em outros dispositivos. Assim, em termos práticos, ele é muito mais um Memory Card do que aquelas fitas que você pegava na locadora todo fim de semana.

É claro que isso nem de longe é impressionante, já que praticamente todos os aparelhos contam com algum tipo de armazenamento na nuvem que facilita a utilização de vários dispositivos a partir de um mesmo save. Por outro lado, a novidade pode ser útil durante viagens ou mesmo quando você quiser usar o smartphone de algum amigo.

Além disso, é importante lembrar que essa é uma tecnologia ainda em desenvolvimento. Tanto que, neste primeiro momento, ele traz apenas algumas demonstrações para exemplificar o seu funcionamento — durante a TGS, isso foi mostrado em um clone de Flappy Bird.

De acordo com a Beatrobo, ela ainda está procurando empresas parceiras que adotem esse conceito bizarro. Além disso, a startup quer dar início a uma campanha de crowdfunding para dar início à produção dos cartuchos.

O único problema é que é realmente difícil imaginar alguém que ache essa ideia interessante. Sim, ela é curiosa pelo viés nostálgico e do conflito de gerações, mas é pouco provável que alguém sinta falta das fitas a esse ponto. Isso sem falar que, como lembra o site Engadget, boa parte dos jogadores móveis nem sequer era nascida na época do Game Boy e não vão se encantar da mesma maneira que o pessoal mais velho.

Via: The Verge, The Next Web, Engadget