De hacks a treinadores profissionais, trapaças já invadem Pokémon GO

Por Redação | 12.07.2016 às 15:51
photo_camera Divulgação

O sucesso de Pokémon GO tem feito muitos jogadores cometerem algumas loucuras. Não apenas alugar um caiaque para chegar a um ginásio no meio de um lago ou sair correndo por ruas e praças para capturar aquele monstrinho que você tanto deseja, mas alguns estão se aproveitando dos mais diferentes métodos de trapaça para conseguir algumas vantagens no jogo. E a lista de truques é realmente bem vasta, indo desde a utilização de versões hackeadas do game até a utilização de drones que facilitam o trabalho desses maus treinadores.

Uma dessas ferramentas foi apresentada por um jogador durante uma transmissão do Twitch. Batizada de Pokémon GO Cheat Tool, o truque consiste em utilizar uma versão modificada da APK do jogo que permite que ele engane o sistema sobre sua localização. Assim, ele consegue capturar Pokémon de outras áreas, além de fazer toda a exploração sem precisar sair de seu sofá. Rodando uma versão para Android, tudo o que ele precisou fazer foi modificar o código e instalar essa versão hackeada. Além disso, a alteração permitia que ele coletasse itens e evoluísse seus Pokémon sem precisar treiná-los ou fazer compras dentro do app.

Diante da demonstração, vários outros jogadores criticaram o hacker, afirmando que ele estava arruinando o game. Como o próprio autor do truque afirma, o método permite que você “aproveite o jogo sem ter que fazer isso pelo caminho mais difícil”. O problema é que, para os demais treinadores, essa alternativa acaba com toda a graça e a proposta do aplicativo, além de colocar o hacker em clara vantagem sobre quem está jogando pelas regras.

Pokémon Go

Hack burla geolocalização e permite que jogador capture Pokémon de outras áreas sem sair do lugar

Outro truque que alguns jogadores estão utilizando é acoplar seu smartphone em um drone. Como já mostramos anteriormente, um jogador usou um desses equipamentos para sobrevoar uma região e mapeando os Pokémon que existem na área. Com isso, ele economizou muito tempo, visto que perderia algumas boas horas caminhando em busca de novos Pokémon. Porém, do mesmo jeito, o truque utilizado não foi bem recebido pela comunidade.

Ajuda paga

Em alguns casos, tem gente disposta a pagar para que outras pessoas joguem por eles. Um serviço batizado de Bidvine, por exemplo, oferece serviços de “treinadores profissionais”, que vão capturar Pokémon, mapear sua área e até chocar seus ovos por uma quantia em dinheiro. De acordo com o site Videogamer, o valor médio cobrado por esse tipo de serviço é de £15 por hora, ou seja, algo próximo de R$ 65 na cotação atual. E o curioso é que o serviço está sendo oferecido no Reino Unido, onde Pokémon GO nem foi lançado ainda.

Pokémon GO

No Reino Unido, empresa já oferece serviço de treinamento particular. Game ainda não chegou ao país

O único problema é que, para permitir que outra pessoa jogue por você, é preciso fornecer seu smartphone ou mesmo sua conta Google, que é usada para fazer login em Pokémon GO. Assim, como o próprio Bidvine informa, os usuários precisam ficar atentos quanto a qualquer tipo de ação indevida em seu aparelho ou serviços, já que não há como monitorar qualquer ação maliciosa por parte desses treinadores profissionais.

De acordo com o CEO do serviço, Sohrab Janabani, apesar dessa preocupação ser algo bastante pertinente, ele relembra que já existem outros serviços que trabalham com a mesma lógica e que se baseiam na confiança entre seus usuários, como quando você contrata alguém para passear com seu cachorro.

Já em relação ao fato de essa prática estragar a experiência do game, Janabani explica que a proposta é oferecer algo que agrade um número específico de pessoas e não afete o restante da comunidade. Segundo ele, se há quem procure por algum tipo de vantagem, a Bidvine está feliz em oferecer isso para eles.

Via: Polygon, Videogamer