Como Pokémon GO ajudou pessoas a superar a depressão

Por Redação | 12 de Julho de 2016 às 14h17
photo_camera Divulgação

Não é preciso ser nenhum grande especialista para perceber que Pokémon GO já se tornou um fenômeno absurdo mundo afora. Por mais que o game ainda não esteja funcionando em várias partes do planeta, como no Brasil, os países onde o jogo já está disponível mostram que as pessoas realmente abraçaram a ideia de ser um mestre Pokémon. Só que, mais do que apenas sair por aí em busca daquele monstrinho que você ainda não tem como diversão, há quem acredita que o aplicativo também traz benefício à sua saúde.

Como aponta o jornal The Guardian, vários jogadores estão dizendo que Pokémon GO se transformou em uma excelente ferramenta contra a ansiedade e até mesmo a depressão. Pode parecer algo exagerado, mas faz muito sentido. Segundo esses relatos, o fato de o app exigir que os treinadores saiam de casa para procurar e capturar seus Pokémon motivou essas pessoas com dificuldades de se relacionar e transtornos psicológicos um pouco mais delicados a deixarem seus quartos para participar da brincadeira, amenizando o seu caso clínico e fazendo com que elas se sentissem muito melhor.

E os efeitos positivos de Pikachu e companhia foram sentidos até mesmo em quem não havia sido diagnosticado com nenhum tipo de problema. Diante das recentes tensões nos Estados Unidos causadas pelos conflitos raciais, protestos contra a morte de jovens negros e o atentado da última semana, os jogadores afirmaram que Pokémon GO ajudou a amenizar um pouco o clima e mostrar que ainda existem pessoas boas no mundo com quem você pode se relacionar.

Outro ponto muito importante é que o jogo vem estimulando também a interação entre os jogadores. Ao longo do último final de semana, o primeiro após o lançamento de Pokémon GO para iOS e Android em países como Estados Unidos e Austrália, vários relatos surgiram nas redes sociais de pessoas que acabaram conhecendo outros treinadores em busca de um Pokémon ou disputando um ginásio. Em alguns casos, pontos como parques e praças acabaram ficando lotadas de treinadores com seus smarpthones em mãos. E, de uma maneira ou de outra, eles sempre acabavam deixando os aparelhos um pouco de lado para conversar, estimulando o lado social que sempre foi tão forte na série.

Como o The Guardian aponta, o jogo vem causando esse efeito benéfico por unir dois pontos que pesquisadores já apontam há tempos como o caminho para o bem-estar: atividade física e exercícios mentais. E, ao fazer os jogadores saírem de casa e se relacionarem entre si, o game vem fazendo um excelente trabalho também em ajudar quem precisava desse apoio. Assim, mais do que se tornar um mestre Pokémon, muitos desses treinadores estão usando o aplicativo para superarem seus problemas.

Via: The Guardian

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.