'Menos viciante', Flappy Bird volta em agosto com modo multiplayer

Por Redação | 15 de Maio de 2014 às 16h00
photo_camera Divulgação

Para quem estava com saudades do viciante Flappy Bird, aí vai uma boa notícia. Em entrevista ao canal CNBC, o criador do game, Dong Nguyen, afirmou que sua mais famosa criação vai voltar aos dispositivos móveis em breve. De acordo com o desenvolvedor, a previsão é que o título chegue aos tablets e smartphones no começo de agosto, mas não revelou uma data específica.

Nguyen também não deu detalhes em quais sistemas operacionais o jogo estará de volta, mas a expectativa é que ele seja disponibilizado para iOS e Android - e quem sabe até o Windows Phone? Além disso, a nova versão do título será "menos viciante" e trará novidades, incluindo um modo multiplayer. Não está claro como essa opção vai funcionar, mas o pessoal do site Droid-Life acredita que possa ser uma modalidade ao estilo de corrida, na qual dois pássaros (jogadores) competem pela maior pontuação.

O Flappy Bird chegou às lojas de aplicativos da Apple em abril de 2013, mas só fez sucesso no início deste ano, pouco depois de chegar ao Android. Sua fama se deu principalmente pelo alto nível de dificuldade: o usuário precisa dar toques na tela do aparelho para controlar os movimentos de um pássaro que voa entre canos e, se encostar em algum deles, o jogo acaba. Poucas pessoas conseguiram chegar aos dois dígitos de pontuação justamente porque comandar o personagem em telas sensíveis ao toque é ainda mais complicado do que em um teclado de computador.

Tanta popularidade fez com que Nguyen removesse o jogo da App Store e da Google Play - uma decisão que pegou muita gente de surpresa, visto que o game havia recebido atualizações dias antes da remoção. Antes da exclusão, Nguyen disse em sua conta pessoal no Twitter que "não aguentava mais" e que não esperava que um aplicativo gratuito pudesse ter o alcance que teve em vários países. Apesar de ser gratuito, estima-se que o game tenha gerado cerca de US$ 50 mil (cerca de R$ 119 mil) por dia ao desenvolvedor.

Outro motivo que levou Nguyen a apagar o jogo foi o vício das pessoas em sua criação. Em entrevista à Forbes, o vietnamita de 23 anos disse que a ideia inicial do título era fazer com que os usuários se divertissem de uma forma descompromissada, mas o que ele viu foi uma busca cada vez maior por recordes e pessoas frustradas com a dificuldade do game. Nguyen Alega ter passado dias sem dormir incomodado com o assédio da imprensa internacional.

"A imprensa está supervalorizando o sucesso dos meus jogos. É algo que eu nunca quis. Por favor, me deixem em paz", disse. Após o fim do Flappy Bird, ele continuou trabalhando para a produtora de jogos independentes dotGears. Tempos depois, o desenvolvedor comentou sobre a possibilidade do game voltar aos dispositivos móveis, mas que isso não aconteceria tão cedo.

Quem já tinha feito o download do jogo antes da exclusão continua com o título instalado normalmente. Isso foi suficiente para que aparelhos com Flappy Bird se tornassem itens de colecionador. Alguns usuários colocaram tablets e smartphones equipados com o game à venda em sites como eBay e chegaram a cobrar até US$ 100 mil pelo gadget. Fora isso, o jogo ganhou diversas paródias, incluindo uma versão feita pela Rovio, produtora de Angry Birds.

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.