Aparelhos com Flappy Bird instalado são oferecidos por até US$ 100 mil

Por Redação | 10 de Fevereiro de 2014 às 13h50
photo_camera Divulgação

Sucesso na App Store e Google Play, o Flappy Bird foi um dos joguinhos mais baixados dos últimos tempos. O game tinha uma ideia simples de conduzir um pássaro entre a abertura de canos da série Super Mario Bros., mas era tão difícil controlar o animal pela tela touch que acabou causando o ódio (e vício) em vários jogadores.

Mas como tudo que é bom dura pouco, o criador do aplicativo, Nguyen Ha Dong, resolveu tirar o jogo do ar porque não aguentava mais tanta exposição. Em seu Twitter, o desenvolvedor vietnamita de 29 anos explicou que pretende deixar de lado a fama do app e produzir trabalhos menos chamativos. Na teoria, a decisão se mostra complicada e controversa, já que o game gerava até US$ 50 mil por dia com anúncios e deve continuar rendendo dinheiro ao criador, já que o aplicativo continua disponível para quem já havia feito o download antes.

Se você não é um desses "sortudos" que não teve tempo para baixar o Flappy Bird e quer experimentar o jogo, talvez exista uma solução – cara e curiosa, diga-se de passagem. É que alguns vendedores do site de leilão eBay já oferecem aparelhos com o título instalado, e a preços dignos de itens de colecionador. Isso tudo poucas horas depois de Dong retirar seu produto do ar.

Flappy Bird

Alguns anúncios colocam à venda um iPhone 5S com o game por "apenas" US$ 99,9 mil (aproximadamente R$ 237 mil). Em outro anúncio, o mesmo smartphone com o jogo já instalado custa US$ 650, e outras duas ofertas colocam o celular de baixo custo da Apple por US$ 899 e US$ 1.500, respectivamente. Também é possível encontrar um iPad e um Nexus 5 por US$ 700, ambos com o Flappy Bird instalado.

Flappy Bird

Afinal, o que aconteceu com o Flappy Bird?

Em um mundo pixelado nos moldes de Super Mario Bros., o jogador precisava controlar um pássaro dando toques na tela para fazê-lo desviar de canos. A cada obstáculo superado, ele ganha um ponto. Todos que testaram o Flappy Bird criticam a dificuldade absurda, e foi justamente isso que tornou o aplicativo um verdadeiro sucesso de um dia para o outro – ele estava disponível para download desde maio de 2013.

O que o desenvolvedor não esperava é que milhões de usuários ficassem viciados em passar horas tentando bater as fases do joguinho. Por isso, ele não aguentou a pressão e optou por removê-lo das lojas de apps para dispositivos móveis sob a afirmação de que sofria assédio da imprensa e dos jogadores, que o procuravam incessantemente. "Desculpem-me usuários do Flappy Bird, mas em 22 horas a partir de agora vou remover o Flappy Bird. Não aguento mais”, escreveu no Twitter.

Alguns usuários acusaram Nguyen de plagiar Super Mario Bros. e um outro jogo francês chamado Piou Piou, mas o vietnamita explicou que não deletou seu game das lojas por questões legais. Além disso, afirmou que não vai vender os direitos do título e que continuará desenvolvendo novas experiências, mas desta vez sem a atenção e sucesso de sua primeira criação.

Vale lembrar que esse não é o primeiro caso envolvendo a pressão da mídia e dos usuários. Em julho do ano passado, Phil Fish, responsável pelo game Fez, cancelou a sequência, Fez 2, por não conseguir lidar com as críticas tanto da imprensa como dos internautas.

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.