Telegram foi usado para compartilhar conteúdo de pedofilia, diz Apple

Por Redação | 06 de Fevereiro de 2018 às 09h51
photo_camera Desiree Catani
TUDO SOBRE

Apple

Na última semana, o Telegram foi retirado abruptamente da Apple App Store, deixando os usuários de iOS sem poderem baixar um dos principais mensageiros do mundo. E, agora, a Maçã veio a público para explicar o que aconteceu — o sistema estava sendo utilizado para compartilhamento de pornografia infantil, além de outros materiais ilegais.

Essas foram as palavras de Phil Schiller, vice-presidente de marketing da empresa, falando oficialmente sobre o caso. Em declaração, ele afirmou que a Apple notificou as autoridades sobre o caso, principalmente centros de combate à exploração infantil, e também avisou os responsáveis pelo Telegram, antes de remover o aplicativo do ar até que uma atitude fosse tomada por eles.

A empresa não deu mais detalhes sobre o ocorrido, mas afirmou ter sido informada sobre a existência de material de pedofilia e a realização de outras atividades e compartilhamentos ilegais por meio do app, mas sem revelar a identidade do responsável. A Apple diz ainda ter conseguido verificar a existência de tais materiais, entregando tais dados também para os responsáveis pelo Telegram e colaborando com os responsáveis no banimento dos usuários envolvidos e na limpeza dos arquivos irregulares.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Na sequência, a equipe do mensageiro tomou medidas para conter o problema, que não foram reveladas, mas garantiram o retorno do app à loja online. Ao finalizar a declaração, a Apple afirma ter uma política rígida sobre o compartilhamento de material ilegal e tolerância zero contra a exploração infantil ou qualquer outra atividade que coloque crianças em perigo.

A remoção do software da App Store aconteceu pouco depois do lançamento de uma nova versão do aplicativo, que vem sendo chamada de reinvenção pelos responsáveis por ele. Liberado na última semana para Android e iOS, o Telegram X, como é chamado, traz mais velocidade e um design diferente, além de recursos experimentais que representam, segundo a própria companhia, o futuro da plataforma.

Na ocasião, se especulou que a remoção tivesse a ver com o lançamento, algo rapidamente negado pelos responsáveis pelo mensageiro. Até o momento em que esta reportagem é escrita, entretanto, a equipe do Telegram não havia se pronunciado sobre as alegações da Apple que levaram à retirada do software da App Store.

Fonte: 9to5Mac

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.