Spotify continua insatisfeito com falta de flexibilidade de preços na App Store

Por Redação | 10.06.2016 às 10:27

Recentemente, a Apple anunciou uma mudança na divisão dos lucros com os desenvolvedores de aplicativos da App Store. Anteriormente, a empresa ficava com 30% da receita que os desenvolvedores conseguiam com a venda de aplicativos ou com as compras realizadas dentro dos apps. Agora, a Maçã reduziu seu ganho para 15% nos serviços que envolvem pagamento de assinaturas caso os desenvolvedores consigam manter os usuários inscritos por pelo menos um ano.

Apesar da mudança, o Spotify demonstrou que ainda continua insatisfeito com o modelo de negócio da loja de aplicativos. Para o diretor de comunicação corporativa da empresa, Jonathan Price, a Apple deveria mudar a sua política para permitir que as empresas de assinatura possam oferecer melhores opções de preços aos consumidores.

"A menos que a Apple mude suas regras, a flexibilidade dos preços é proibida, e é por isso que nunca podemos oferecer ofertas especiais ou descontos, o que significa que não temos a capacidade de compartilhar nossas economias com os nossos clientes", explicou Price. O executivo ainda disse que a redução de ganho para 15% que a Apple adotou é apenas um "gesto simpático" que não resolve o principal problema da plataforma. "A Apple ainda insiste em se inserir entre os desenvolvedores e seus clientes", acrescentou.

Apesar das críticas do Spotify ao modelo da Apple, a mudança aparentemente pode ser benéfica para empresas como Netflix e outros serviços de assinatura que contam com uma grande base de assinantes, incluindo o serviço de streaming musical. Além disso, a alteração da divisão das receitas também pode ser uma solução para os pequenos desenvolvedores, que ainda não conseguiram fazer dinheiro com seus aplicativos na App Store.

Quanto a flexibilidade de preços, a Apple afirmou que passará a permitir que os desenvolvedores ofereçam preços diferenciados em várias moedas e países. Os preços, no entanto, não serão definidos livremente pelas empresas, visto que elas poderão escolher somente entre 200 valores estipulados pela Maçã em sua loja de aplicativos.

Fonte: The Verge