Beta do iOS 11.4 possui recurso escondido para evitar "desbloqueios forenses"

Por Ramon de Souza | 08 de Maio de 2018 às 18h05
photo_camera Malwarebytes
TUDO SOBRE

Apple

O uso de soluções forenses para desbloquear smartphones parece ter virado moda entre as autoridades e agentes da lei ao redor do mundo. Por muito tempo, a israelense Cellebrite foi a principal representante desse controverso mercado; recentemente, a misteriosa Grayshift surgiu do nada oferecendo a solução GreyKey que, embora seja bem mais barata, parece ser igualmente eficiente para tal objetivo.

O que ninguém percebeu é que, no recém-lançado beta do iOS 11.4, a Apple adicionou discretamente um recurso feito para dificultar a vida de quem utiliza tal tipo de solução. De acordo com pesquisadores da Elcomsoft, a compilação em questão é equipada com uma funcionalidade chamada USB Restricted Mode, que basicamente desabilita por completo a transferência de dados pela porta Lightning caso o aparelho não seja usado por sete dias.

O código funciona de um jeito bem simples. Imagine, por exemplo, que o suspeito de um crime é preso e seu iPhone é apreendido pela polícia, que precisa de uma ordem judicial para “invadir” o celular em busca de provas. Obviamente, até que o mandato seja expedido, o gadget não será desbloqueado com a senha configurada pelo réu. Em sete dias, o SO desabilita o uso da conexão Lightning para transferência de dados, tornando-a exclusiva para recarregar a bateria; a única forma de "religar" a entrada é informando a senha.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Embora seja impossível dizer com certeza de que tal recurso estará na edição final do iOS 11.4, podemos afirmar que a funcionalidade certamente representa uma dor de cabeça para empresas como a Cellebrite e a Grayshift — afinal, nem sempre os agentes da lei têm autorização para desbloquear um aparelho apreendido dentro desse curto período de tempo. A tal novidade mostra que a Apple continua preferindo ficar do lado da “privacidade total” em vez de modificar seus sistemas para colaborar com as autoridades.

Fonte: VentureBeat

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.