Apple pode dar recompensa a garoto de 14 anos que descobriu bug do FaceTime

Por Wagner Wakka | 04 de Fevereiro de 2019 às 21h20
Tudo sobre

Apple

Saiba tudo sobre Apple

Ver mais

O garoto de 14 anos que descobriu a falha recente de segurança do FaceTime pode receber uma recompensa da Apple. Grant Thompson pode receber um dos chamados de “bug bounty”, algo que pode ser traduzido como “recompensa de bugs”, uma premiação que empresas de tecnologia oferecem a pessoas que conseguem achar problemas em suas plataformas e notificam as companhias.

Em entrevista ao CNBC, nesta segunda-feira (4), garoto informou que “um executivo do alto escalão” da Apple foi até a casa de Thompson agradecê-lo pessoalmente e sugeriu que o garoto possa fazer parte do programa de bug bounty da Apple. “Ele disse que vamos saber do time de segurança na próxima semana o que isso significa”, informou Michele Thompson, mãe do garoto. “Se ele conseguir algum tipo de recompensa pelo bug que encontrou, nós poderíamos certamente usar para sua faculdade, pois eu acho que ele vai longe, espero".

Na mesma entrevista, ele também conta como que achou o bug. Thompson estava jogando Fornite quando tentou criar um grupo entre seus amigos, os quais jogavam no mesmo time. Foi aí que, acidentalmente, ele descobriu o problema. “O que é bastante surpreendente para mim é que a Apple não tenha achado isso e um garoto de 14 anos tenha feito por acidente”, brinca.

O bug foi descoberto no fim de janeiro e permitia que usuários tivessem acesso à câmera e aos áudios de uma pessoa em uma ligação do FaceTime, mesmo que ela recusasse a chamada. Thompson chegou a dizer que havia notificado a Apple pelo menos uma semana antes de o problema virar notícia e que a companhia não tinha respondido seus avisos até então.

Na última sexta (1), a Apple soltou um pedido de desculpas oficial e um agradecimento ao garoto pela descoberta. Ainda, informou que a atualização para o problema deve chegar ainda nesta semana. Por segurança, a companhia desabilitou o recurso de chamadas em grupo no app até que ele seja de novo comprovadamente seguro para os usuários.

Apesar das descobertas, o menino ainda se considera um fã da marca e afirmou que deve continuar usando os produtos da Apple, dizendo que coisas desse tipo acontecem vez ou outra.

Fonte: CNBC

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.