Apple estaria removendo apps que compartilham localização do usuário

Por Felipe Demartini | 09 de Maio de 2018 às 11h24
TUDO SOBRE

Apple

A Apple teria iniciado, nesta semana, uma verdadeira limpeza na App Store, tirando do ar todos os aplicativos que compartilham dados de localização do usuário com terceiros sem o consentimento expresso. A medida viria em atendimento às novas regras de privacidade que entram em vigor na Europa no dia 25 de maio e estão exigindo novas medidas de controle de informação pelas empresas de tecnologia.

Por mais que as regras da Regulação Geral de Proteção de Dados (GDPR, na sigla em inglês) se apliquem apenas ao Velho Continente, as companhias têm aplicado mudanças em todos os países em que atuam, já se preparando para eventuais legislações que venham a surgir localmente. Mudanças nos termos de uso da App Store, nesse exemplo específico, estão relacionadas à exigência legal por consentimento expresso dos usuários para que os dados obtidos a partir de aplicativos e serviços online possam ser compartilhados com terceiros.

Em atendimento à legislação, a Apple teria modificado dois segmentos do conjunto de regras da App Store, notificando os desenvolvedores afetados sobre o assunto. Com o fim do prazo, agora, os aplicativos ainda irregulares começam a ser removidos do marketplace, tendo de ser submetidos novamente e reavaliados para que possam voltar à loja. A medida, entretanto, não atinge versões já instaladas nos dispositivos dos clientes, que continuarão funcionando mesmo em desacordo.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

O ponto principal aqui é uma regra que exige a autorização expressa dos usuários para que seus dados possam ser compartilhados com terceiros. A única exceção, nesse caso, são ações de melhoria das aplicações em si ou da experiência dos utilizadores em termos de performance ou usabilidade. No restante das situações, as pessoas precisarão concordar com esse tipo de utilização, que deve ser bloqueada caso a resposta inexista ou seja negativa.

A limpeza, porém, é um trabalho de bastidores. Sendo assim, a Apple não falou sobre o total de desenvolvedores ou aplicações afetados nem deu detalhes sobre as remoções. O que se sabe, porém, é que elas têm efeito imediato e devem ser finalizadas em poucos dias, com a Maçã mantendo um olhar vigilante para novos softwares que possam quebrar as regras, principalmente depois que o GDPR estiver em vigor.

Fonte: The Verge

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.