Eddy Cue teve que convencer Steve Jobs a lançar o iBooks para iPad

Por Redação | 15.06.2013 às 13:00

Mesmo com o processo rolando no Ministério da Justiça norte-americano, o iBooks tem sido um empreendimento de sucesso para a Apple, mas poderia ser diferente se não fosse a atitude de Eddy Cue, atual VP de Software e Serviços da empresa. O executivo da Maçã precisou convencer Steve Jobs de que o app seria realmente incrível no iPad.

De acordo com o CultOfMac, na época em que a Apple estava se preparando para lançar seu tablet, em meados de 2009, Steve Jobs não estava interessado na ideia do iBooks, pois ele acreditava que os e-books não tinham lugar em telas pequenas ou desktops.

"Steve nunca sentiu que o Mac ou o iPhone eram dispositivos de leitura ideais. No caso do telefone, a tela era menor, e no caso do Mac, você tinha o teclado e o dispositivo, e aquilo não se parecia com um livro", disse Cue durante seu depoimento em um tribunal federal de Manhattan na última quinta-feira (13).

iBooks iPad

Mas quando Cue colocou as mãos no dispositivo pela primeira vez, ele rapidamente se convenceu de que esta seria uma grande oportunidade para a Apple "construir o melhor e-reader que o mercado já viu". Tudo o que ele precisava fazer era convencer o chefe disso.

"E então eu fui até Steve e lhe disse porque eu pensei que [o iPad] ia ser um grande dispositivo para e-books", disse Cue. Segundo o executivo, após algumas discussões, Jobs voltou atrás e disse: "Sabe de uma coisa? Eu acho que você está certo. Acho que isso é ótimo!". E então, Jobs começou a ter ideias sobre o que queria fazer com o iPad e como fazer dele o gadget ideal para ler livros virtuais.

Depois de convencer Jobs, Cue precisava descobrir como deixar o iBooks pronto a tempo para a grande divulgação do iPad, já que Jobs queria que o serviço fosse apresentado com o tablet. A ideia foi aprovada em novembro, e o lançamento seria em janeiro. No final das contas, deu tudo certo, e até hoje Cue conta o quanto se orgulha de ter sido bem-sucedido nessa missão.