'AppGrátis' é banido da AppStore, e isso pode ser apenas o começo de uma limpeza

Por Redação | 11 de Abril de 2013 às 16h01

No último domingo (7), o aplicativo 'AppGrátis' foi retirado da AppStore por supostamente violar duas cláusulas das diretrizes estabelecidas pela Maçã em sua loja online. O app em questão dava dicas de promoções para usuários do sistema iOS.

De acordo com as informações divulgadas pelo AllThingsD, Uma das cláusulas violadas proíbe aplicativos de promover softwares de outras empresas, enquanto a outra que proíbe o uso de notificações push para enviar propaganda, promoções ou qualquer tipo de marketing direto para os usuários.

Fontes do blog dizem ainda que a Apple está se preparando para reprimir os aplicativos que violem, principalmente, essas duas cláusulas citadas. O motivo dessa "limpeza" seria que a Apple sente que esses aplicativos podem ameaçar a legitimidade dos rankings da AppStore, oferecendo aos desenvolvedores uma maneira de cortar o caminho e atingir uma classificação elevada. Com esse cenário em mente, o interessante mesmo seria que a Apple fixasse uma espécie de 'Genius' para recomendar aplicativos de sua loja, um sistema que ainda não funciona muito bem na Maçã.

O CEO do AppGratis, Simon Dawlat, não se calou perante a retirada do seu seu app da loja da Apple e escreveu um grande post em seu blog. Ele contou que tinha acabado de desembarcar em São Paulo quando ligou seu iPhone e recebeu uma enxurrada de mensagens e chamadas não atendidas, todas falando a respeito do caso da Maçã.

Em meio ao desabafo, Dawlat disse que o AppGrátis possui 45 funcionários e mais de 12 milhões de usuários no mundo, e afirmou que ele vai continuar funcionado e sendo alimentado com dicas de promoções e descontos da AppStore.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.