Aplicativos que operam bitcoins voltam à App Store

Por Redação | 16 de Junho de 2014 às 12h28

A Apple suspendeu sua restrição a aplicativos que operam bitcoins na App Store neste domingo (15). Com novas diretrizes, o primeiro app a voltar à lista de downloads foi o “Coin Pocket”. Desde fevereiro, a empresa havia excluído todos os aplicativos de carteira virtual que apareciam na App Store. Com eles, os usuários podiam armazenar a criptomoeda e realizar transações.

Considerada à época excêntrica e anti-competitiva pela Blockchain, maior operadora de bitcoins da web, a política da Apple com relação à moeda virtual parece não ter resistido à demanda – de todo modo, com algumas ressalvas.

Agora, para poder figurar na lista da App Store, tais aplicativos devem estar em "conformidade com todas as leis estaduais e federais para os territórios em que funcionam”.

Os motivos que teriam levado a Apple a restringir a bitcoin em sua plataforma seriam de caráter legal, uma vez que a moeda ainda não tem uma regulamentação aprovada no parlamento americano. Mas surgiram rumores de que a empresa estaria mesmo é interessada em entrar no mercado com a sua própria carteira virtual, já que a falta de regulamentação também não implica na ilegalidade da moeda.

A Bitcoin é um tipo de moeda digital produzida por milhares de computadores espalhada pelo planeta. Sua estrutura está descentralizada em uma vasta rede de computadores mantidos por entusiastas, que produzem novas moedas e também verificam e regis­tram todas as transações financeiras, que são criptografadas e anônimas. O modelo é similar ao das redes P2P, usadas para compartilhamento de arquivos na internet. Por isso, controlar a moeda virtual, como fazem os bancos centrais com a moeda real, é muito difícil.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.