YouTube bloqueia canal oficial do governo da Coreia do Norte

Por Sérgio Oliveira | 15 de Dezembro de 2016 às 07h43

O YouTube fechou, nesta quarta-feira (14), as portas do Korean Central Television, o canal oficial da Coreia do Norte que era utilizado para apoiar o regime autocrático de Kim Jong-Un.

Basicamente, os vídeos do canal mostravam absolutamente tudo do dia a dia do líder norte-coreano e os principais acontecimentos do país, desde os assuntos oficiais mais simples até os testes nucleares que eram realizados por lá. Agora, ao tentar acessa a página do canal na plataforma de vídeos, os usuários são apresentados a uma mensagem que diz que a conta foi suspendida por violar as regras da comunidade do YouTube.

Apesar disso, o Washington Post alega que o bloqueio na realidade está relacionado às novas sanções impostas pelo Departamento do Tesouro dos Estados Unidos ao Departamento de Propaganda e Campanha da Coreia do Norte. Homologadas em março, as sanções concluem que o departamento monopoliza e manipula toda a mídia do país asiático e que por isso deve ter a veiculação de seu conteúdo restrito.

O periódico ainda diz que o YouTube se prontificou de cumprir com as sanções e o bloqueio de ontem seria resultado direto disso. Com o fim do canal, não só o conteúdo de Pyongyang é restrito, como também é a publicidade que o governo norte-coreana arrecadava a partir do YouTube.

Procurado, o site limitou-se a afirmar que desativa contas que "violam" seus termos de serviço ou quando é "solicitado pela Lei". Curiosamente, os termos do site proíbem apenas a veiculação de nudez ou conteúdo sexual, violento e de ódio, além de spam, automutilação, ameaças e infringimento de direitos autorais. Nada disso era veiculado pelo Korean Central Television, o que fortalece a ideia de que o bloqueio ao canal ocorreu como consequência das sanções impostas pela Casa Branca.

Via The Washington Post

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.