Usuários do Twitch assistem à rotina de animais em tempo real

Por Nathan Vieira | 10 de Agosto de 2019 às 21h40
Geekwire

Os serviços streaming estão dominando a internet, e isso inclui uma das plataformas mais recentes a ficar conhecida por esse tipo de conteúdo, o Twitch. O site ficou conhecido principalmente por ser usado por jogadores profissionais fazendo transmissões ao vivo de gameplays, como o Ninja, um dos mais famosos a fazer isso com o Fortnite Battle Royale (embora, recentemente, tenha trocado o Twitch pelo Mixer, plataforma semelhante, só que da Microsoft). No entanto, a tendência mais atual dentre os usuários do site não é assistir a gameplays ou brincar de karaokê, mas sim assistir a transmissões que mostram o cotidiano de animais da fazenda. Não, você não leu errado.

A norte-americana Erica Hopkins, que utiliza o pseudônimo de The Goat Chick no site em questão, é dedicada a uma atividade diária que consiste, basicamente, em cuidar de suas cabras de estimação. Erica não apenas ordenha as cabras, como também dá a mamadeira aos filhotes, e transmite tudo isso ao vivo ao público do Twitch todos os dias. Além das lives realizadas 24 horas por dia, Erica também alimenta um site propriamente voltado para o conteúdo relacionado aos cuidados de cabras, e documenta a vida dos bichinhos de diferentes ângulos.

Erica Hopkins compartilha o cotidiano das cabras com milhares de usuários do Tiwtch (Foto: TheGoatChick/Twitch)

Erica tem criado as suas cabras há cerca de oito anos, mas foi em janeiro deste ano que começou a exibir a vida delas no Twitch. No entanto, as cabras não são os únicos animais que têm suas próprias transmissões. Há uma comunidade toda voltada aos mais diversos tipos de animais, como patos, galinhas e até mesmo periquitos. Há também a transmissão de um jardim, em que o usuário pode ver guaxinins, gatos ou pássaros do bairro.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Outro caso de transmissão no Twitch se concentra exclusivamente na vida de uma colmeia de abelhas. Para muitos usuários da plataforma, essa subcultura é uma maneira de estabelecer uma conexão com a natureza, o ambiente e os animais que não estão presentes em sua rotina. Eles nunca poderiam ver os animais dessa maneira, no momento desejado e com apenas alguns cliques.

Erica Hopkins pretendia transmitir suas cabras através de seu próprio site que aborda o conteúdo, até que descobriu o Twitch. "Meu filho de 16 anos gosta de jogar Fortnite", ela explica durante uma entrevista com o Gizmodo da Espanha. "Ele sempre fala sobre as pessoas que transmitem seus jogos. Eu vi o site e achei que funcionaria, afinal, já tinha câmeras instaladas em todo o celeiro para monitorar as cabras", completa.

Não há categoria específica no Twitch voltada à transmissão em tempo real de animais. Um ávido espectador chamado Nathan, que tem o costume de usar o codinome “Challenger_Unknown” no Twitch, criou um canal no Discord chamado “Animal Streaming Community” justamente para tentar unir esta comunidade e tornar mais fácil para as pessoas encontrarem novos canais animais. "Estou sempre à espera de alguém para me dizer que é uma ideia idiota", Nathan conta ao Gizmodo. "Até agora, todo mundo me disse o contrário", o rapaz afirma.

A maioria dos streamers de animais estão nas categorias IRL ou Just Chatting, mas outros, como a própria Erica Hopkins, usam a tag ASMR (Resposta Sensorial Autônoma do Meridiano), que é destinada a streamers que produzem sons relaxantes com objetos que estejam ao seu redor, sob a premissa de causar sensações nas pessoas que estão escutando. As transmissões de animais se enquadram nessa categoria porque, segundo a streamer, o público gosta de ouvir os sons da fazenda e dos animais que vivem por lá.

Erica afirma que seus espectadores não só aproveitam as transmissões para relaxar, como também costumam usar seu streaming para conversar sobre problemas de saúde mental. "Muitos dos meus espectadores têm problemas de saúde mental", explica. “Há muitas pessoas que têm Transtorno de Estresse Pós-Traumático. Minha transmissão é um pequeno santuário para eles. Há um pequeno grupo dentro da minha comunidade que está especificamente lá para melhorar sua saúde mental". Esse público usufrui de seu streaming e similares para reproduzir um espaço onde se são capazes de se sentir seguros, felizes e onde podem resgatar a calma.

Outros animais transmitidos no Twitch

Outro popular streamer de animais é um locutor de 43 anos de Utah, também do Estados Unidos, que atende pelo pseudônimo de "Farmer Spence". Dentre suas transmissões de animais estão a OurChickenLife (protagonizada por galinhas, coelhos e ovelhas) e a Dash Ducks (protagonizada unicamente por patos).

Ele também compartilha da mesma crença de que seus espectadores assistem às transmissões para relaxar e ver animais que normalmente não veriam. "É um nível diferente de observação de animais", declara o streamer. “Você tem a oportunidade de se aproximar deles. Você compreenderá melhor seus sons, sua personalidade e poderá vê-los interagir com os outros como animais, não agindo de maneira diferente por causa de algum alimento”, Spence explica.

Natalie Legresley, uma espectadora e moderadora das correntes de Farmer Spence e de Erica Hopkins, afirma que se entra nas páginas para ver os animais, mas também por causa do senso de comunidade existente. "Nós tivemos o prazer de estar presentes em muitos dos nascimentos dos animais de Hopkins, e você realmente se sente parte da fazenda quando vê e compartilha momentos especiais como este", aponta. "Depois de ver bebês nascidos, podemos vê-los crescer e isso é realmente incrível", acrescenta.

Por sua vez, Aaron Endersbe, um streamer de 45 anos que vive no Reino Unido, transmite a vida de suas abelhas e também assiste a sua transmissão quando está longe da colméia. "Tê-las zumbindo em meus ouvidos durante todo o dia enquanto eu trabalho é bastante relaxante", diz o rapaz. "Eu conversei com muitas pessoas que gostam de entrar por 5 ou 10 minutos para ver o que as abelhas estão fazendo." Sua câmera é colocada na frente de uma caixa. As abelhas vêm e vão o dia todo, envolvidas em tarefas intermináveis. "As pessoas gostam de olhar para a cor do pólen que ela trazem nas pernas. Todas as plantas têm pólen de cores diferentes. As abelhas só visitam um tipo de planta por vez. Eles não se misturam". Endersbe diz ainda que há outras coisas que os espectadores podem ver. "Durante todo o dia, você também pode ver as abelhas guardiãs 'analisando os coletores'".

Tudo pode acontecer durante a transmissão, para que os espectadores voltem sempre. Todos os dias, os animais fazem coisas diferentes. Às vezes, também há surpresas para os transmissores, como quando o fazendeiro Spence enfiou a mão na caixa de suas galinhas e encontrou um monte de coelhinhos: "Eu me abaixei para pegar um ovo e disse: 'Isto não é um ovo", relembra o fazendeiro. “Havia muitos coelhos”.

Esse elemento surpresa é uma parte importante das transmissões que acontecem 24 horas por dia. A proposta é justamente que os animais ajam com naturalidade, sendo uma espécie de reality show animal. "Eu tenho assistido várias transmissões de animais por mais de sete meses e eu os vi crescer, e eu aprendi a reconhecer suas personalidades", Natalie declara. "Eles se tornaram quase como meus próprios animais de estimação", a garota conta.

Fonte: Gizmodo

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.