Tudo o que você precisa saber para começar o dia (13/09)

Por Redação | 13.09.2016 às 08:09 - atualizado em 13.09.2016 às 08:19

Sabe aquele dia que você acorda com a sensação de que não deveria ter saído da cama, pois tudo vai dar errado? É o famoso “um dia daqueles”. Todo mundo já passou por isso uma vez na vida, incluindo as grandes empresas. E esta terça-feira não nega ser um dia 13, já que só temos notícias ruins para as companhias e para o mercado aparecendo. A começar pelo fim da linha Lumia, para a tristeza de seus fãs. Uma fonte ligada à Microsoft confirmou que os aparelhos vão deixar de ser produzidos já no próximo mês de dezembro, quando ela passaria a concentrar seus esforços no Surface Phone. E, apesar de triste, não podemos dizer que esse fim é uma surpresa, já que isso é algo que muita gente já especulava há algum tempo, principalmente após as recentes restruturações feitas pela própria Microsoft. A empresa ainda não comentou sobre o rumor, mas muita gente já está dando isso como certo, ainda mais com a expectativa de um evento em outubro para a apresentação do Surface Phone.

Outra notícia ruim que vimos aparecer foi relacionada aos problemas do Uber no Brasil. Em primeiro lugar, o serviço já começou a enfrentar processos trabalhistas movidos por diversos de seus motoristas, exigindo o reconhecimento de vínculo empregatício pela empresa estrangeira. Se for acatado, o processo pode resultar em colocar todos os motoristas em carteira assinada para que eles tenham direito a férias, 13º salário e todos os demais benefícios garantidos pela CLT. E essa é uma questão bastante delicada, pois a Uber precisará se adaptar a essas leis trabalhistas, o que pode encarecer o serviço. Por outro lado, a empresa disse que esse vínculo empregatício não existe porque, na verdade, não é a empresa quem contrata os motoristas, mas o inverso. Assim, eles seriam profissionais autônomos que contrataram o serviço de uma empresa para facilitar o contato com passageiros. Diante desse confronto de pontos de vista, o número de colaboradores do Uber começa a diminuir pelo Brasil, sendo que a maioria abandonou o trabalho por vontade própria, alegando que não há tantos benefícios que justifiquem trabalhar tanto.

Para completar a sequência de notícias ruins que embalam esta terça-feira 13, temos mais incidentes envolvendo a bateria do Galaxy Note7. Pouco tempo depois de a própria Samsung pedir para que as pessoas não utilizem o aparelho, o novo smartphone da empresa acabou explodindo na mão de um garoto de apenas seis anos nos Estados Unidos. Segundo familiares, ele estava em casa assistindo a vídeos no aparelho quando o dispositivo simplesmente explodiu na sua frente. Por sorte, nada de muito grave aconteceu com a criança, que teve apenas algumas queimaduras pelo corpo e passa bem. Porém, sua avó diz que ele ainda chora muito e disse que não quer mais saber de celulares na sua frente — um comportamento bastante compreensível diante do susto. A Samsung não comentou sobre o ocorrido.

Galaxy Note7

Nos Estados Unidos, Galaxy Note7 explodiu na mão de garoto de seis anos enquanto ele assistia a vídeos

Por outro lado, para mostrar que ainda temos algumas notícias boas escondidas na manga, algumas novidades que podem interessar muito aos fãs da Apple. Testes de desempenho mostraram o quanto o novo iPhone 7 é realmente poderoso. Segundo resultados do AnTuTu — um dos testes de benchmark mais conceituados do mundo e com um dos nomes mais legais também —, é possível que ele seja o aparelho mais potente feito até hoje. Apenas para ter uma ideia, o aparelho da Apple marcou 178.397 pontos dentro da escala proposta, ficando muito à frente de seus concorrentes. Apenas para ter uma ideia, esse valor coloca o novo iPhone com uma margem de 27% à frente do segundo colocado, o OnePlus 3, que marcou 140,288 pontos. Já o Galaxy S7 marcou 134.599. Parte desse poderio está no chipset A10 Fusion, desenvolvido pela Apple e apresentado no último dia 7 de setembro juntamente com a nova geração de smartphones.

Por fim, o Nubank começou a testar seu programa de fidelidade. Essa era uma questão que muitos dos clientes da empresa mais sentiam falta, mas que parece estar caminhando para se tornar realidade. A empresa selecionou um grupo de usuário Android para conferir a novidade e testar seu funcionamento. A ideia é seguir a mesma lógica existente em outros cartões de crédito, ou seja, bonificar o usuário com pontos à medida que eles utilizam o método de pagamento. E essas “milhas” acumuladas podem ser usadas para pagar diárias em hotéis, passagens aéreas, corridas de Uber e mensalidades de serviços de streaming como Spotify e Netflix. Porém, segundo o Nubank, a proposta é sair um pouco desse lugar comum e oferecer algumas facilidades que não existem na concorrência, como a possibilidade de acompanhar sua pontuação antes mesmo do fechamento da fatura. Porém, já foi dito que, para poder aproveitar da fidelidade, os usuários terão de pagar a anuidade do cartão, cujo valor não foi revelado.