Tudo o que você precisa saber para começar o dia (12/05)

Por Redação | 12.05.2017 às 08:19
photo_camera Divulgação

A semana finalmente acabou e isso é motivo para comemorar. Como os últimos dias foram bastante turbulentos, como uma montanha-russa cheia de altos e baixos, é natural que todos queiram jogar tudo para o alto e correr para o fim de semana e abraçar o descanso que está por vir. No entanto, antes de você partir para a gandaia e sumir até a próxima segunda-feira, é preciso se informar de tudo o que está acontecendo para não ser um completo alienado entre os amigos. Se eles começarem a falar sobre a Baleia Azul, por exemplo, você já pode comentar sobre a identidade do criador do jogo suicida, o russo Philipp Budeikin, de apenas 21 anos. Ele confessou ter criado o jogo após ter sido preso acusado de incentivar a morte de 16 adolescentes. E, mais assustador ainda é o fato de Budeikin dizer que fez tudo isso em uma jornada para limpar a sociedade e que, apesar de tudo, segue recebendo centenas de cartas de amor de jovens de todo o mundo. Em depoimento, o acusado disse que queria acabar com pessoas que ele considera “lixo biológico”, ou seja, que não representam nenhum valor para a sociedade e vão apenas causar danos.

E enquanto a Rússia segue fazendo seus memes que levam pessoas à morte, o Brasil só nos faz rir. A gente é tão bom em fazer piada que nem mesmo assuntos sérios escapam do humor tupiniquim. O último exemplo disso foi o depoimento do ex-presidente Lula ao juiz federal Sérgio Moro dentro da operação Lava Jato. O petista veio a Curitiba ficar cara a cara com o magistrado pela primeira vez em um evento que deixou todo mundo em polvorosa. Enquanto os partidários de ambos os lados se manifestavam em todo o Brasil, o Twitter aproveitou para fazer graça e criou uma infinidade de memes, montagens e outras brincadeiras dentro da rede social, provando que não há assunto que não possa virar zoeira.

O Messenger está de cara nova e passa a dar mais destaque aos jogos que existem na plataforma

Já no campo das tretas, o bom e velho Uber voltou a ser destaque. Desta vez, porém, o Brasil está de fora, já que a discussão sobre o papel da empresa acontece na Europa. De acordo com advogados da Corte de Justiça Europeia, a companhia deve ser tratada como uma prestadora de serviço de transporte e não apenas como uma intermediária de tecnologia, como ela se vende. A conclusão foi feita com base em dois pontos: o primeiro é a origem dos lucros da Uber, que vêm exatamente do transporte de passageiros e não da conectividade oferecida. Em segundo lugar, a Corte defendeu que as longas jornadas a que os motoristas são submetidos faz com que eles não possam buscar outras atividades, o que apenas reforça a tese. Diante disso, o Uber (e outros serviços do gênero) pode acabar tendo de se submeter a uma série de adequações para continuar operando, como a obtenção de autorizações e licenças, além do pagamento de diferentes taxas. Assim como vem sendo proposto no Brasil, trata-se de se adequar à legislação vigente. O problema é que não estamos falando mais apenas de um país latino-americano, mas de um dos blocos econômicos mais importantes do mundo.

Partindo para assuntos mais leves, você deve ter notado algumas diferenças em seu Messenger, não é mesmo? O aplicativo de bate-papo do Facebook ganhou algumas novas funções em sua última atualização, além de uma mudança em sua interface. A proposta da empresa é deixar as coisas mais organizadas, principalmente ao destacar as mensagens e seus contatos online já na parte superior da tela, facilitando o acesso a essas funções básicas. Com isso, na parte inferior, agora ficam apenas os ícones de ligação, Stories e um novo dedicado apenas a jogos. Este último vai elencar os games mais populares dentro da plataforma e é a principal aposta de Mark Zuckerbeg para diferenciar o Messenger de outros aplicativos do gênero. A atualização vem sendo liberada aos poucos no Android e a expectativa é que, em poucos dias, todos os usuários já estejam com o novo visual.

Por fim, uma curiosidade para tornar o fim de semana um pouco mais leve. Você sabia que os ícones utilizados em alguns dos aplicativos mais populares do mercado têm a mesma origem? E ela está bem longe de ser criativa. Parece que os responsáveis pelas logos de serviços como Medium, Airbnb, Flipboard, Hootsuite e Beats tinham acesso ao mesmo livro e decidiram se inspirar nele na hora de criar o símbolo dessas marcas. A obra em questão é a Trademarks & Symbols of the World: The Alphabet in Design, escrita pelo japonês Yasaburo Kuwayama e publicada em 1989. E o mais curioso é que a descoberta foi feita pelo vice-presidente da Xiaomi, Spencer Chen, que divulgou uma página do livro em seu perfil no Twitter, revelando a grande “coincidência”.