Tudo o que você precisa saber para começar o dia (10/08)

Por Redação | 10 de Agosto de 2016 às 08h00

A gente sempre tenta fazer com que esse apanhado diário traga boas notícias para que você comece o seu dia não apenas bem informado, mas também bem-humorado. Porém, nem sempre é possível fazer isso, já que a realidade insiste em bater em nossa porta para dizer que coisas ruins acontecem. É o caso desta quarta-feira (10), que começa exatamente com os primeiros relatos de mortes relacionadas a Pokémon GO no Brasil. Um garoto de apenas 9 anos morreu afogado no Rio Grande do Sul quando tentava capturar alguns monstrinhos no meio de um rio. De acordo com a polícia local, o menino e um amigo estavam em um barco, que acabou virando ainda perto da margem. No entanto, o garoto não conseguiu nadar e acabou desaparecendo em meio às correntezas. Seu corpo foi encontrado horas mais tarde. Por outro lado, o pai discorda da versão das autoridades e diz que seu filho não estava jogando e que nem mesmo tinha um smartphone em que era possível rodar o aplicativo. Além disso, tivemos outro caso, desta vez no Amazonas, de uma mulher que foi vítima de uma bala perdida quando policiais que foram roubados quando jogavam o game entraram em conflito com os assaltantes.

Ainda falando no jogo, a última atualização liberada pela Niantic trouxe mudanças significativas no modo de encontrar e procurar seus monstrinhos. E isso vem intrigando muita gente, já que o sistema de Nearby nunca foi muito claro para ninguém e os Sightings são tão confusos quanto. No entanto, o mais recente update tentou amenizar isso e trouxe um modo diferente de indicar onde encontrar esse ou aquele Pokémon. Ao invés de deixar o jogador completamente às cegas, ele indica em que Pokéstop você consegue encontrá-lo. A novidade ainda não está disponível para todos os jogadores e vem sendo testada em apenas alguns poucos sortudos, mas trata-se de um modo bastante curioso e eficaz, ajudando os treinadores a saber para onde ir. Será que vamos ter a sorte de ver o recurso chegar por aqui ou teremos de continuar explorando tudo com base na sorte?

Deixando Pokémon GO um pouco de lado, vamos voltar a falar de Olimpíada e dos protestos realizados contra os jogos. Cumprindo o que havia prometido antes do início dos jogos, o grupo Anonymous segue sua investida contra o evento esportivo e realizando ataques a sites do governo do Rio de Janeiro. Segundo o grupo hacker, eles invadiram seis páginas estaduais e municipais, entre eles da Ouvidoria do Rio de Janeiro, da Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb) e do Instituto de Segurança Pública (ISP-RJ). Os sites ficaram fora do ar, mas nenhum órgão governamental chegou a confirmar os ataques. Em seu perfil no Facebook, o Anonymous assume a autoria dos ataques cibernéticos e se posiciona mais uma vez contra os Jogos Olímpicos e o reflexo causado por eles na cidade e na vida do carioca, o que inclui desde os diversos escândalos de corrupção até a expulsão de moradores de diversas áreas de interesse.

Esquadrão Suicida

Fã quer processar a Warner por ter vendido mais Coringa do que entregou em Esquadrão Suicida

O assunto continua pesado, não? Então vamos falar de algo um pouco mais leve. Um engenheiro está oferecendo uma recompensa de US$ 200 mil (cerca de R$ 628 mil) para quem ajudá-lo a provar que o MS-DOS é uma farsa. Segundo Bob Zeidman, a Microsoft criou o seu sistema com base no código-fonte copiado do CP/M, sistema operacional lançado nos anos 70 para o microprocessador Intel 8080. Ele já tentou provar essa tese diversas vezes e até chegou perto, mas nunca conseguiu provas suficientes que confirmassem suas acusações. Assim, ele decidiu pedir ajuda à comunidade e está oferecendo uma quantia razoável em dinheiro para quem encontrar algo que realmente mostre que a Microsoft se apropriou indevidamente de algo do CP/M.

Para fechar nossa rodada de notícias, vamos continuar dentro do âmbito jurídico. Desta vez, contudo, com um tom bastante peculiar. Um fã decidiu que vai processar a Warner por propaganda enganosa pelo fato de o filme Esquadrão Suicida ter menos Coringa do que prometeu ter. Segundo ele, todos os trailers e materiais promocionais do longa mostravam o ator Jared Leto como se ele fosse um dos personagens principais do filme, mas a versão que chegou aos cinemas coloca o Palhaço do Crime em apenas alguns momentos bem pontuais da trama. Assim sendo, o rapaz classifica o caso como uma tentativa de enganar o público, prometendo algo que não condiz com a realidade. Vale lembrar que o próprio Leto comentou que várias das cenas do Coringa foram mesmo cortadas do filme e que muitas delas chegaram a aparecer no trailer, mas não no corte final filme. Porém, recorrer à Justiça já é um pouco demais, não?

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.