Tudo o que você precisa saber para começar o dia (06/06)

Por Redação | 06.06.2016 às 08:01
photo_camera Divulgação

Eis uma semana que começa com cara de mês passado. Afinal, o tempo passa, o tempo voa, mas a Anatel continua sendo o centro das atenções e das polêmicas. E, após dizer que não vai fazer nada em relação à adoção de franquias por parte das operadoras de telefonia, a Agência Nacional de Telecomunicações revelou que a sua própria crise é muito maior do que a gente imaginava. Afinal, quem poderia imaginar que o órgão todo-poderoso que regula toda a parte de comunicação possui apenas R$ 14 em caixa? O fato de ter menos dinheiro do que na carteira de muito brasileiro pode fazer com que a agência interrompa suas atividades. Afinal, que servidor vai querer trabalhar sem receber?

E, ao mesmo tempo em que precisa lidar com o fato de ter menos dinheiro do que a gente, a Anatel ainda precisa enfrentar suas outras batalhas. Depois de ter tirado o corpo fora da questão das franquias, o Comitê Gestor de Internet (CGI.Br) se posicionou dentro do debate das franquias e, apesar de uma aparente neutralidade dentro da celeuma, disse que é preciso embasamento técnico, jurídico e econômico para realizar a mudança e que também é preciso se espelhar em modelos internacionais. Em outras palavras, falou para o pessoal daqui não fazer besteira. Assim, o Comitê pede para que empresas e usuários trabalhem em conjunto para desenvolver a internet no Brasil e que a sociedade deve ser sempre consultada antes de qualquer decisão.

Deixando essa questão de lado, outra notícia bastante preocupante surgiu ao longo do fim de semana para deixar todo mundo alerta. Por mais que WhatsApp e Telegram digam ser seguros e capazes de proteger suas conversas com uma criptografia inquebrável, um grupo de hackers mostrou que as coisas não são tão bonitinhas assim e provou ser capaz de ter acesso a todas as conversas de qualquer pessoa sem se preocupar com qualquer tipo de restrição. E, para piorar, os cibercriminosos ainda trouxeram um vídeo para mostrar que não estão blefando. A técnica consiste em se aproveitar de uma falha no protocolo de sinalização de telefonia SS7, que permite ao hacker clonar um telefone e emular aquela conta de WhatsApp e Telegram a fim de acessar as conversas.

Ficou preocupado? Pois a salvação pode vir das mãos de quem você menos espera. Afinal, uma nova rede social apenas para dribladores acaba de surgir em terras brasileiras. O jogador Ronaldinho Gaúcho decidiu criar sua própria versão do Facebook e a disponibilizou para qualquer pessoa que queira conhecê-la. O funcionamento é bastante simples e realmente se aproxima do Facebook que a gente conhece — substituindo o velho curtir pelo icônico sinal que o jogador fazia quando marcava um gol —, o que torna a experiência bastante familiar. Também é possível criar páginas, álbuns de fotos e tudo aquilo que a gente já conhece. E quem diria que o R10 seria o Mark Zuckerberg brasileiro, hein?

Por fim, para fechar nossa recapitulação de novidades, a Fox pediu desculpas após liberar um banner bastante polêmico usado para promover o filme X-Men: Apocalipse. Na peça, vemos o vilão estrangulando a heroína Mística. E, apesar de isso ser uma cena do filme, a imagem em questão pegou muito mal por ser uma imagem de um homem estrangulando uma mulher sendo divulgada em um momento em que a sociedade discute fortemente questões de violência contra elas. O estúdio disse ter se empolgado com a cena e não percebeu a leitura que as pessoas poderiam ter da foto e concordou que esse contexto é perturbador e desagradável. Assim, optaram por remover todas as propagandas.