Tudo o que você precisa saber para começar o dia (05/05)

Por Redação | 05.05.2017 às 08:05

A sexta-feira finalmente chegou. É dia de maldade, de meter o louco, mandar aquele abraço pro chefe, chamar o contatinho no WhatsApp e aproveitar a folga que já se aproxima. Só que, antes de fazer tudo isso, é preciso cumprir com os últimos compromissos da semana e ficar bem informado para não correr o risco de ficar sem assunto durante aquela conversa de boteco na sexta à noite. Assim, se alguém lhe perguntar sobre as condições especiais de compra do Galaxy S8 no Brasil, você já pode dizer que a Samsung começou a oferecer seu serviço de Trade In aqui no Brasil. A empresa anunciou que quem quiser comprar seu novo smartphone poderá oferecer o seu modelo atual como parte do pagamento, recebendo um desconto considerável final no valor do aparelho — cuja versão mais barata custa “apenas” R$ 3.999. Para isso, a companhia preparou uma lista com os celulares que serão aceitos e alguns dos fatores analisados na hora de calcular o abatimento do preço. Isso inclui marca, modelo, ano de lançamento e avarias do dispositivo.

Outro assunto que está na boca da galera e que é bom você saber para não ficar sem saber o que dizer é o incrível golpe do Gmail que afetou mais de 1 milhão de usuários em apenas uma hora. E o método usado pelos hackers para enganar tanta gente foi bastante simples: eles enviavam e-mails com convites falsos do Google Docs convidando as vítimas a editarem um documento. Mesmo sem conhecer o remetente, as pessoas clicavam no link acreditando ser uma mensagem legítima do serviço e acabavam entregando suas informações de acesso aos criminosos. Segundo especialistas, acredita-se que os bandidos usariam esses dados para tentar obter informações ainda mais sensíveis, como relacionados a contas bancárias. Por sorte — se é que podemos dizer assim, já que tanta gente foi afetada em tão pouco tempo —, o Google resolveu a situação rapidamente, removendo as páginas falsas do ar e desabilitando as contas que estavam sendo usadas para realizar o golpe.

Para quem quer aproveitar o final de semana na rua, a dica é aproveitar os dias que virão para caçar Pokémon. A Niantic segue com seus eventos periódicos para atrair novos jogadores e reconquistar aqueles que abandonaram o game. E, para isso, ela trouxe uma surpresinha aos jogadores de Pokémon GO. Entre a tarde desta sexta-feira e a manhã da próxima segunda, será muito mais fácil capturar monstrinhos do tipo grama. Essa é a sua oportunidade de evoluir aquele Bulbasaur que está há meses encalhado em sua coleção ou mesmo treinar aquela Chikorita que veio com a segunda geração de Pokémon. Isso sem falar de tantos outros que podem ser mais raros na sua região e que, pelo menos neste final de semana, vão aparecer com mais frequência.

Chega na gatinha e diz "Vamos nessa jornada Pokémon?"

Voltando aos contatinhos, eis uma dica importante: se quiser mandar uma foto ou um vídeo temporário para alguém, o WhatsApp é mais popular que o Snapchat nesse sentido. Sim, depois de muito insistir, Mark Zuckerberg conseguiu fazer com que a função Status de seu aplicativo de bate-papo superasse o rival em termos de utilização diária. De acordo com o Facebook, o recurso é usado por quase 175 milhões de usuários por dia contra apenas 158 milhões do Snapchat. Isso coloca o WhatsApp na segunda colocação no ranking dos serviços mais utilizados para este fim, atrás apenas do Stories do Instagram — que também pertence ao Facebook. Essa é a prova de que, por mais que façam piada, insistir em uma ideia é algo que pode dar certo e gerar bons frutos. Uma dica excelente para o fim e semana, inclusive.

Por fim, para fechar esse apanhado de possíveis conversas de bar, a Apple pode encarar um novo pedido de proibição de venda do iPhone nos Estados Unidos. Desta vez, é a Qualcomm que quer barrar a comercialização do smartphone, alegando que a Maçã simplesmente parou de pagar os royalties pela utilização de seus chips. Segundo a Apple, a Qualcomm realmente é dona dos direitos sobre esses componentes e não nega a vontade de pagar os valores devidos, contanto que seja sobre a inovação em si e não de acordo com o preço de venda dos iPhones, o que gera um impacto considerável nas receitas de Tim Cook e da companhia de Cupertino. Após várias tentativas de acordo, a Apple simplesmente chutou o pau da barraca e deixou de pagar essa taxa desde o último mês de fevereiro. A alegação da Maçã é que ela chega a pagar até cinco vezes mais que companhias concorrentes que possuem acordo ou contratos semelhantes com a fabricante de chips. O pedido da Qualcomm será analisado pela comissão de comércio dos EUA e, se aceito, vai barrar imediatamente as vendas do iPhone no país.