Tudo o que você precisa saber para começar a semana bem informado

Por Redação | 22 de Maio de 2017 às 08h06

Este foi um fim de semana bastante atípico. Embora muita gente tenha preferido descansar nesse período, o caos político trouxe um clima pesado que destoou bastante do ambiente de folga que todo mundo gosta. E o ponto é que, enquanto as coisas seguem pegando fogo em Brasília e as redes sociais seguem com seus memes sobre o tema, o mundo da tecnologia continua sua vida trazendo novidades e suas próprias polêmicas — que muitas vezes acabam sendo ofuscadas pelas tretas presidenciais. Um belo exemplo disso é que a empresa russa Elcomsoft descobriu uma séria falha de segurança e privacidade dentro do iOS.

Segundo a companhia, o aplicativo Notas continua armazenando os dados sincronizados no iCloud mesmo depois de 30 dias daquele arquivo ter sido apagado, como a Apple promete. A partir de um aplicativo desenvolvido por ela, a empresa conseguiu extrair dados da nuvem que já tinham sido apagados em 2015, por exemplo. A Apple já foi alertada sobre a questão e a expectativa é que ela apresente alguma correção em breve.

Deixando isso de lado, saiba que, em um futuro muito próximo, você vai poder pedir aquela pizza do final de semana pelo Facebook. E não estamos falando de entrar na página na pizzaria e conversar com o dono. A rede social de Mark Zuckerberg está desenvolvendo formas de integrar serviços de entrega de comida com a plataforma. Ainda restrita aos Estados Unidos, a novidade é apresentada na forma de um novo ícone em forma de hambúrguer que aparece no menu lateral do Facebook e que exibe opções de restaurantes para que você faça seu pedido. E o mais interessante é que nada disso leva o usuário para um endereço externo: todo o processo é realizado dentro da própria rede social, desde a inserção de nome e endereço até o pagamento. Como é de se esperar de algo em fase de testes, a novidade parece estar sendo liberada aos poucos e para um número reduzido de pessoas, mas deve começar a ganhar forma e força à medida que começar a se popularizar.

Voltando aos ataques de ransomware da semana retrasada, eis que as primeiras estatísticas sobre o WannaCry mostram uma realidade um tanto quanto preocupante. De acordo com dados da Kaspersky, o Windows 7 foi o sistema mais afetado pelos sequestradores de computador. Segundo a empresa, 98% das máquinas atingidas rodavam o sistema operacional e isso é alarmante porque a Microsoft já havia liberado, via Windows Update, o patch de correção para a falha explorada pelo malware. Isso significa que praticamente todos os usuários afetados simplesmente não atualizaram seus computadores porque não quiseram e acabaram pagando um preço altíssimo por isso. Apenas 2% desses usuários utilizavam o Windows XP e outros sistemas não suportados pela dita atualização — e, mesmo sendo um número tão baixo, a Microsoft se dignou a liberar um update para evitar novos problemas.

Por fim, voltamos à Apple para comentar sobre uma mudança na política de teste do Apple Music. Em alguns países, a empresa vai retirar o período de experiência de 30 dias gratuitos oferecidos a novos usuários. Assim, se você mora em algum canto da Austrália, Espanha ou Suíça, terá de pagar 99 centavos da moeda local para poder ter acesso ao serviço. O curioso é que, nesses locais, o Spotify também segue uma política semelhante durante sua fase de trial. Já no Brasil, os três meses na faixa continuam garantidos — pelo menos por enquanto.

Via: Phone Arena (2), Kaspersky, MacRumors

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.