Tentando ignorar a tecnologia? Pesquisa diz que é mais fácil depois dos 50 anos

Por Redação | 05 de Julho de 2017 às 09h32

Manter-se desconectado pode ser uma tarefa muito difícil para os mais jovens, que cresceram vendo inovações e um mundo tecnológico totalmente novo nos últimos anos. Mas de acordo com um estudo feito pela Gfk, essa dificuldade em ignorar o mundo digital acontece de maneira muito mais acentuada até os 49 anos. Aos 50 anos, a tendência é que as pessoas comecem a deixar de lado a vontade excessiva de se envolverem com equipamentos tecnológicos.

A pesquisa constatou que cerca de um terço das pessoas em todo o mundo (34%), em especial até os 49 anos de idade, afirmam ter dificuldade em evitar a dependência do mundo digital, mesmo quando deveriam fazer isso. A partir dos 50 anos, o estudo revelou que existe um número maior de pessoas que se sentem mais à vontade em não responderem às mensagens que chegam no smartphone, ou visualizar as postagens, likes e comentários do Facebook.

Apenas 23% das pessoas entre 50-59 anos afirmaram ter dificuldade em ignorar a tecnologia. "Esse indicador vem provar, por via indireta, que os comportamentos antes atribuídos aos grupos mais jovens, como os millennials, trespassam hoje a maioria da população", afirma em nota a Gfk Portugal. Por outro lado, os jovens com idade entre 15 a 19 anos são os que relataram ter mais dificuldade em se manter longe do mundo digital. 44% deles afirmaram ter essa dificuldade, enquanto apenas 11% declararam não sofrer com esse problema.

No comparativo entre homens e mulheres os dados praticamente são os mesmos. Entre os que consideram difícil deixar a tecnologia de lado, mesmo em situações em que deveriam fazê-la, estão 35% das mulheres e 33% dos homens. No resultado que mescla todos os gêneros e faixas etárias, 34% dos pesquisados consideram difícil colocar de lado seus aparelhos eletrônicos, enquanto que apenas 16% dizem não ter esse problema.

A pesquisa foi realizada em 17 países, incluindo Austrália, Brasil, China, França, Espanha, Reino Unido e Estados Unidos. No Japão e na Coreia do Sul, a dependência apresenta os menores níveis da pesquisa, ocorrendo o oposto em países como a China, Brasil, Argentina e México, onde a variação vai de 38% a 43%.

Via Sapotek

Fonte: http://tek.sapo.pt/noticias/internet/artigos/ignorar-redes-sociais-e-smartphones-fica-mais-facil-a-partir-dos-50

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!