Spotify está sendo processado (de novo) por violação de direitos autorais

Por Redação | 19 de Julho de 2017 às 08h20
photo_camera Divulgação
Tudo sobre

Spotify

Aconteceu em 2015, em 2016, e, agora, está acontecendo mais uma vez: o Spotify, um dos maiores serviços de streaming de músicas do mundo, está sendo processado por violar direitos autorais. Os dois novos processos foram abertos pela Bluewater Music e pela distribuidora Rob Gaudino.

Ambas alegam que a empresa detentora do serviço de streaming falhou em obter permissões para incluir alguns de seus artistas no catálogo, incluindo nomes como Miranda Lambert, Willie Nelson e Guns ‘N Roses. Cerca de 2.500 músicas foram listadas como não licenciadas, até o momento.

As empresas exigem que o Spotify pague US$ 150 mil por cada uma das canções usadas sem a devida autorização - valor máximo estipulado pela lei de direitos autorais dos Estados Unidos. Se condenada, a companhia precisará desembolsar US$ 366 milhões para se livrar das acusações. Para a Bluewater Music, qualquer valor menor do que o este seria uma punição branda demais para o Spotify, uma vez que “recompensaria uma empresa multimilionária, prestes a se tornar pública, que comanda o mercado de streaming através de um padrão de violação intencional de direitos autorais”.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Até o momento da redação desta nota, o Spotify ainda não se pronunciou oficialmente sobre o assunto. Vale lembrar que, recentemente, a empresa foi acusada de criar artistas falsos para reduzir seus custos com royalties.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.