Spotify chega a 140 milhões de usuários

Por Redação | 15 de Junho de 2017 às 17h18

O Spotify anunciou mais um recorde no número de usuários nesta quinta-feira (15), chegando à marca de 140 milhões de inscritos no serviço. A marca solidifica cada vez mais a posição da plataforma como o mais popular serviço de música por streaming do mundo e o coloca bem à frente do Apple Music, visto como seu principal rival, que possui “apenas” 27 milhões de assinantes.

Apesar da marca positiva, é justamente na distinção entre usuários gratuitos e pagantes que está a raiz de alguns dos desafios enfrentados pelo Spotify atualmente. A empresa não atualizou os números relacionados a isso, mas em março havia afirmado que tinha 50 milhões de assinantes, o que faz com que 64% do total de 140 milhões esteja conectado à versão gratuita da plataforma.

A falta de acordos com gravadoras como Sony Music e Warner, por exemplo, é outra pedra no sapato de serviço. Por mais que o portfólio de artistas das marcas esteja disponível no serviço, ainda não há consenso quanto ao pagamento de royalties, uma crítica comum, inclusive, para muitos músicos, principalmente de gravadoras independentes, que demandam maiores porcentagens por reprodução.

O epicentro dessa questão parece já ter sido deixado para trás, com artistas notoriamente críticos do Spotify, como Taylor Swift, por exemplo, já tendo liberado suas canções na plataforma. Além disso, um recente acordo com a Universal também modificou a forma de atuação do serviço e deve servir como ponto de partida não apenas para a busca por consensos semelhantes com outros conglomerados, mas também para melhorar o acerto com músicos e gravadoras independentes.

Tais questões, entretanto, devem acabar afetando a abertura de capital do Spotify, que pode acabar optando por uma listagem direta em vez de uma oferta pública. Isso garantiria pouca subida no valor da empresa, também permitindo que investidores e acionistas vendessem suas cotas como desejassem. Além disso, evitaria possíveis multas relacionadas a levantamentos de capital anteriores, garantindo que os responsáveis pelo aporte financeiro não possam dizer que o montante estaria sendo usado para outros fins que não os indicados originalmente.

Fonte: Spotify

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.