Site vai monitorar andamento das mudanças prometidas por Donald Trump

Por Redação | 20 de Janeiro de 2017 às 20h02

O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, que assumiu a Casa Branca nesta sexta-feira (20), prometeu fazer grandes mudanças no país em seus primeiros 100 dias no cargo, conforme havia anunciado em outubro durante sua campanha.

E, para o caso de Trump se esquecer de cumprir alguma de suas promessas, foi lançado um site chamado “Track Trump” com o objetivo de monitorar o progresso que o presidente faz na execução de seu plano.

Segundo a mensagem introdutória do site, seus criadores sentiram que era importante que os cidadãos fossem capazes de entender e acompanhar em tempo real as mudanças políticas que afetariam suas vidas.

O site foi projetado, desenvolvido e lançado nas últimas semanas, de acordo com o presidente da aceleradora Y Combinator, Sam Altman, e um dos criadores do “Track Trump”. Também ajudaram na construção do site Alec Baum, que trabalhou na campanha presidencial de Hillary Clinton; o doutorando em administração pública Peter Federman; e o desenvolvedor Gregory Koberger, fundador do ReadMe e ex-funcionário da Mozilla.

Como funciona?

Na página inicial do site, há oito ícones que representam as categorias de políticas que o "Track Trump' pretende monitorar, incluindo imigração, comércio, energia e clima, governo federal, política econômica, educação, saúde e segurança.

Dentro de cada seção, estão os itens de ação individual citados no plano de 100 dias de Trump. Conforme o progresso ocorrer em cada uma dessas áreas, um rastreador próximo à promessa específica será atualizado da cor cinza (nenhuma ação), para amarelo (em etapas), para verde (política implementada). Se a política não for implementada ou mudada, a cor ficará vermelha.

Dentre as promessas de Trump estão “expulsar do país os mais de dois milhões de imigrantes ilegais criminosos e cancelar os vistos dos países que recusem recebê-los"; "suspender a imigração de regiões propensas ao terrorismo”, bem como "drenar o pântano" do que ele considera ser a corrupção sistemática em Washington.

Fonte: TechCrunch