São Paulo é a cidade mais conectada do país, diz pesquisa

Por Redação | 22 de Junho de 2017 às 11h08

São Paulo foi considerada a cidade mais conectada e inteligente do Brasil de acordo com pesquisa anual da Urban Systems, uma companhia especializada em inteligência de mercado. A capital paulista ficou à frente de Curitiba (PR) e Rio de Janeiro (RJ) no levantamento, enquanto a região Sudeste foi considerada a mais inteligente, com nada menos do que seis municípios na lista.

Para chegar a essa conclusão, a pesquisa analisou critérios como mobilidade, inovação, empreendedorismo, tecnologia, meio ambiente, economia, governança, entre outros. Ao todo, são 70 indicadores avaliados em 700 cidades de todo o país de forma a encontrar as cidades mais inteligentes do Brasil, onde há maior potencial de crescimento e, claro, investimento.

São Paulo foi a líder mais uma vez por se destacar em todos os quesitos avaliados pela Urban System. De acordo com o estudo, a capital paulista possui mais modais de transporte público do que qualquer outra cidade do país, também contando com uma variedade de meios de locomoção de massa. Startups nascem na cidade tanto quanto grandes empresas desejam criar suas sedes ali, ajudando a movimentar a economia e também o mercado de tecnologia.

O levantamento cita também as boas políticas públicas, como novas leis do Plano Diretor e de uso e ocupação do solo, que garantiram boas avaliações em quesitos como meio ambiente, urbanismo, energia e saúde. Companhias e órgãos públicos também destinam grandes verbas de pesquisa para São Paulo, o que levou a avaliações positivas também em educação.

Por outro lado, a região Norte do país foi a única a não contar com uma cidade no top 10, com uma de suas capitais, Palmas, aparecendo somente na 15ª colocação. Curitiba foi a melhor cidade do Sul, enquanto no Nordeste a campeã é Recife. Brasília aparece na frente no Centro-Oeste, enquanto o Sudeste é o grupo com os municípios em melhor colocação.

Por mais que a análise realizada seja positiva, a Urban Systems pondera que os números brasileiros poderiam ser muito melhores. Na comparação com a média do restante do mundo, o país ainda tem um espaço para melhorar em cerca de 50%, principalmente no que toca a eficácia de políticas públicas e o incentivo ao investimento em empresas iniciantes.

Fonte: Urban Systems