Rússia acusa Facebook e Google de tentarem interferir em eleições

Por Felipe Demartini | 09 de Setembro de 2019 às 09h55

Em uma virada no mínimo interessante, agora é a Rússia quem acusa empresas como Google e Facebook de tentar interferir em eleições locais. De acordo com a autoridade de telecomunicações do país, as empresas infringiram leis locais que impedem a veiculação de anúncios com cunho político no dia da votação, que aconteceu neste domingo (8) em âmbito regional.

Na visão do Roskomnadzor, órgão regulador do setor, se trata de uma tentativa de interferência pelo fato de Google e Facebook terem seguido adiante com a exibição dos anúncios para usuários de internet mesmo após serem contatados pelas autoridades para que não fizessem isso. Em comunicado, a agência condenou o que taxou como geração de ruído no processo democrático do país.

As propagandas irregulares teriam sido exibidas na internet não apenas no próprio dia das eleições, mas também no sábado (7). Em ambos os casos, a veiculação é ilegal, com uma lei semelhante à brasileira, que impede propagandas políticas na data das votações como forma de tentar evitar que anúncios de última hora induzam eleitores a escolherem um candidato já diante da urna. Não se sabe o teor das propagandas exibidas aos usuários e nem quais candidatos teriam sido beneficiados.

As eleições de domingo chegaram entre protestos de opositores, principalmente em Moscou, devido à exclusão de diversos candidatos contrários ao governo do presidente Vladimir Putin, tirados do pleito apenas semanas antes das votações. A situação na capital se refletiu em boa parte do país, com críticos ao governo levando a melhor na escolha da população.

Google e Facebook não responderam sobre o assunto. A autoridade de telecomunicações também não disse que atitudes serão tomadas contra as empresas nem que tipo de punição elas receberão sobre os casos.

Fonte: Reuters

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.