Prejuízo do Uber em 2015 pode ter sido de US$ 2,5 bilhões, afirma site

Por Redação | 25 de Janeiro de 2016 às 12h49
Divulgação
Tudo sobre

Uber

Por onde passa, o Uber chama a atenção, levanta polêmica e, mal ou bem, arrecada alguns milhares de dólares. Entretanto, o balanço anual da companhia teria indicado um prejuízo de cerca de US$ 2,5 bilhões, conforme revela o site The Information, que teve acesso às informações financeiras da startup mais badalada do planeta.

Segundo a publicação, enquanto registrou receita de cerca de “apenas” US$ 1,6 bilhão em 2015, as despesas passaram de US$ 4 bilhões. Para se ter uma ideia, até o final de setembro do último ano, o prejuízo da companhia que oferece serviços de transporte privados dentro de várias cidades do mundo havia sido de US$ 1,7 bilhão.

Gastos com expansão

Em 2014, o Uber teve perdas de US$ 671,4 milhões, valor bem inferior ao registrado no último ano. O grande vilão das finanças da startup teriam sido os esforços de expansão em países emergentes, como Índia e China. Contudo, a expectativa é que mercados em que a empresa já atuava anteriormente possam gerar uma receita ainda maior para evitar um rombo no balanço do ano seguinte.

Assista Agora: Saiba quais são os 5 maiores problemas das empresas brasileiras e comece 2019 em uma realidade completamente diferente.

Uma projeção feita pela companhia garante que ela poderia ter lucros de US$ 14 bilhões durante os próximos quatro anos apenas em países desenvolvidos nos quais já atua. Vale lembrar que, recentemente, a empresa aumentou a porcentagem de dinheiro que ela toma dos motoristas que realizam as corridas contratadas pelos usuários do aplicativo do Uber.

No geral, em 2014, a companhia mantinha em média 16,9% do valor pago pelos clientes, o que garantiu uma contribuição de US$ 495,3 ao seu caixa; já em 2015, este valor foi de US$ 658,8 milhões, representando um total de 18,4% do dinheiro arrecadado com as corridas em todo o mundo. Além disso, o prejuízo de 2015 não ameaça a sequência da empresa, que possuiria reservas de US$ 4,15 bilhões em 30 de junho do último ano. Ou seja, ainda há muita lenha para ser queimada.

Fonte: The Information

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.