Porta dos Fundos é o canal do YouTube mais influente do mundo de 2016

Por Redação | 21 de Dezembro de 2016 às 13h20

Um dos mais polêmicos canais brasileiros do YouTube foi eleito como o mais influente da plataforma em 2016. Sim, estamos falando do coletivo de humor Porta dos Fundos.

Quem apontou este resultado foi a empresa norte-americana da análise ZEFR, que ajuda as marcas a descobrir os maiores influenciadores digitais para cada segmento. De acordo com a pesquisa, o Porta dos Fundos levou o título de canal mais influente do ano graças ao engajamento que gerou entre os internautas.

Com quase 13 milhões de inscritos, o canal foi responsável por um total de 2,9 bilhões de interações (incluindo curtidas, comentários, etc). Além disso, teve um alcance de 19 milhões em plataformas cruzadas (YouTube, Facebook, Instagram e Twitter).

O Porta dos Fundos se tornou o maior canal brasileiro no YouTube em abril de 2013, mas foi ultrapassado pelo canal do youtuber Whindersson Nunes em outubro de 2016. No entanto, o canal composto por nomes como Antonio Tabet, Fábio Porchat e Gregório Duvivier foi o único brasileiro a entrar na lista da ZEFR.

Outra curiosidade é que o Porta dos Fundos é o único dentre os cinco primeiros colocados do ranking de 2016 que não fala sobre games. O popular PewDiePie ficou em quarto lugar este ano.

Assuntos polêmicos e populares

Em 2016, o Porta dos Fundos abordou temas que estavam em alta, como o bloqueio do WhatsApp. No entanto, o grupo também é famoso por usar assuntos que rendem muita discussão, como a política, para fazer seus vídeos.

Em abril deste ano, um vídeo chamado Delação deu o que falar e, com certeza, ajudou a aumentar o engajamento dos fãs (e dos haters) no canal. O esquete satiriza as delações premiadas da Lava-Jato, criticando a posição da Polícia Federal diante das denúncias feitas sobre políticos do PSDB e PMDB.

Além da enxurrada de likes e compartilhamentos, o vídeo também foi alvo de protestos de não simpatizantes do governo federal. Diante disso, muitos acusaram o grupo de “petistas” e “comunistas”, pedindo às pessoas que cancelassem a sua inscrição no canal e também negativassem o vídeo. É claro que os humoristas não perderam tempo e aproveitaram a polêmica para lançar outro vídeo e gerar ainda mais confusão.

Fonte: ZEFR Insights

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.