PewDiePie afirma que não fará mais piadas nazistas após Charlottesville

Por Redação | 17 de Agosto de 2017 às 16h02

O sueco Felix Kjellberg, mais conhecido como PewDiePie, o youtuber mais bem pago do mundo, afirmou que não fará mais piadas nazistas em seus vídeos. Disse também que quer ficar longe de grupos supremacistas e que pregam o ódio.

A declaração foi feita quatro dias depois dos eventos de Charlottesville, na Virgínia (EUA), onde um confronto entre grupos de extrema direita e movimentos antirracistas deixou quatro mortos e mais de 30 feridos.

Este é o segundo recuo do youtuber, que fatura mais de R$ 45 milhões por ano, segundo a revista Forbes. Em fevereiro, seu contrato com a Disney foi encerrado após ser acusado de antissemitismo. Seus vídeos faziam referência nazistas e contra os judeus. 

PewDiePie alegou na época que tudo era uma brincadeira e que ele não apoiava o nazismo. Para amenizar as críticas, disse que entendia as pessoas que acharam as piadas ofensivas.

Em comunicado, ele disse: "Eu lembro que, quando tudo aconteceu em fevereiro eu dizia: 'São só piadas, não existem nazistas de verdade por aí, do que vocês estão falando?' Agora, eu olho para isso e entendo. Se por algum motivo os nazistas acham legal eu fazer essas piadas, não vou dar isso a eles. Não vou fazê-las mais. Não estou me censurando. Só não quero fazer parte disso".

Fonte: Mashable

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.