Os misteriosos anúncios de diamantes que escondem pornografia no YouTube

Por Jessica Pinheiro | 28 de Maio de 2018 às 17h06
TUDO SOBRE

YouTube

Imagine que você está assistindo a um vídeo no YouTube que mostram diamantes, os melhores e mais brilhantes que você já viu, cujos formatos variam indo de gatos incrustados em esmeraldas, anéis com rubis ou qualquer outra pedra de cor diferente, e até mesmo colares em forma de coração semelhante ao do filme Titanic. Num repente, a reprodução muda totalmente e começa a exibir uma gravação instável, mostrando diversas mulheres jovens se despindo. Não há nudez explícita, claro, mas existem diversos closes provocantes nas partes íntimas dessas pessoas.

As chamadas pornografia softcore já existem há muito tempo, e inclusive há milhares de vídeos como esse descrito acima no YouTube. Essas montagens bizarras geralmente ficam escondidas sob títulos como “Os Melhores Diamantes do Céu” e duram muitas horas. Os primeiros minutos, porém, são apenas uma máscara, pois em algum momento mais adiante no vídeo, garotas seminuas começam a se exibir sensualmente.

Ainda não se sabe quem é o responsável por esses softcores, mas sabe-se que os vídeos são publicados em várias contas, e alguns desses vídeos já possuem milhares de visualizações. Além do mais, os canais que distribuem essas produções geralmente possuem poucos assinantes, o que dá a entender que essas contas do YouTube são descartáveis, criadas apenas para hospedar os conteúdos impróprios, disfarçados de propaganda de joalheria. Alguns vídeos, inclusive, já existem há anos na plataforma da Google, mas podem estar bloqueados por estarem atribuídos a restrições de idade.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A pior parte é que as regras do YouTube sobre conteúdo sexualmente explícito geram brechas que são muito bem exploradas pelos responsáveis deste tipo de vídeo. A pornografia, obviamente, não é permitida na plataforma, mas “um vídeo que contenha nudez ou outro conteúdo sexual, pode ser permitido se o propósito for educacional, documental, científico ou artístico, e não for de forma gratuita (...). Vídeos com pessoas com poucas, reveladoras ou nenhuma roupa também podem ser restritos à idade se eles forem sexualmente provocativos, e não mostrarem conteúdo explícito”.

Ainda que não exatamente violem as diretrizes de conteúdo sexual propostas pelo YouTube, há um lado bastante obscuro por trás da produção desses vídeos. A verdadeira natureza desses softcores pode estar acobertando ilegalidades que atravessam direitos civis, mesmo que as obras possuam direitos autorais e não estejam gerando monetização. As mulheres mostradas, inclusive, são desconfortavelmente jovens. A intenção parece ser a de estimular que os espectadores consumam esse tipo de conteúdo impróprio, sem se importar muito bem com a sua origem, enquanto brincam com as regras da plataforma.

Fonte: The Verge

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.