Nos EUA, empresas criam 'dia da internet lenta' a favor da neutralidade de rede

Por Redação | 10.09.2014 às 13:52 - atualizado em 01.08.2017 às 19:04

Com o objetivo de tentar chamar a atenção dos internautas e mobilizá-los em defesa da neutralidade de rede, grandes empresas e corporações de internet estão se organizando nos Estados Unidos para realizarem nesta quarta-feira (10) um dia de alertas e protestos.

Mozilla, Reddit, Foursquare, Netflix, Kickstarter, Vimeo, Etsy, Namecheap e várias outras companhias vão levantar questões relacionadas à neutralidade de rede em seus sites na esperança que mensagens sejam direcionadas à Federal Communications Commission (FCC) - órgão americano equivalente à Anatel, do Brasil -, ao Congresso dos EUA e à Casa Branca. O trabalho dessas entidades é tentar demonstrar quais as consequências das medidas adotadas pela FCC ao permitir que os provedores disponibilizem "vias expressas" de acesso à rede.

A campanha é liderada pelo Battle for the Net, um site apoiado por instituições como o FreePress, Fight for the Future, Demanda Progress e Engine. No portal é possível encontrar imagens, banners e widgets com o símbolo do clássico carregamento de conteúdo na web - aquele círculo que fica girando para indicar que o vídeo ou imagem está sendo processado. Com essas ferramentas, os internautas que quiserem ajudar a causa poderão se expressar nas redes sociais e em outros sites da web.

Battle for the Net

Essa não será a primeira manifestação do gênero, mas é a responsável por mobilizar o maior número de empresas. Durante os alertas e protestos, as páginas oficiais das companhias irão simular o carregamento lento de conteúdos em suas páginas, sem, obviamente, prejudicar a qualidade de seus serviços. A ideia é demonstrar como o fim da neutralidade rede pode afetar as plataformas online, uma vez que a proposta da agência reguladora americana é permitir a disponibilização de ligações de baixa velocidade para a maioria dos usuários, mas privilegiando o acesso aos que podem pagar mais por isso.

Além disso, a Mozilla criou um tópico dedicado ao Ask Me Anything (AMA) no Reddit para tirar dúvidas e permitir a interação entre os apoiadores da causa. Alexis Ohanian, cofundador do Reddit, escreveu um artigo no The Verge incentivando empresários da tecnologia a fazer parte dos protestos. O Vimeo também produziu um vídeo explicando a importância da neutralidade e como são necessárias proteções mais eficazes para garantir a igualdade de tráfego de dados na internet.

"É difícil explicar o que é a neutralidade de rede, por isso queremos demonstrar o que está em jogo. Se as pessoas não se unirem em defesa da neutralidade, vamos passar a ver isso com muito mais frequência", afirmou Evan Greer, do grupo Fight for the Future, ao jornal The Guardian.

Entenda a proposta da FCC

Em abril deste ano, o presidente da FCC, Tom Wheeler, revelou a proposta das novas regras sobre as ofertas de conexões de rede nos Estados Unidos. Se aprovada, a nova lei vai permitir que provedores de banda larga ofereçam privilégios a terceiros, o que antes era ilegal. Com base nessa medida, o acesso a uma conta de e-mail, por exemplo, pode ter uma velocidade menor do que o acesso a um vídeo, que demanda de mais rapidez para carregar.

Os americanos se organizaram e protestaram contra o fim da neutralidade, levando a consulta pública aberta pela agência a receber mais de um milhão de mensagens. A discussão acontece porque depois de a FCC baixar as regras de proibição de provedores de bloquear conteúdos, em 2010, a medida foi parar na Justiça. Agora no início de 2014, uma decisão deu vitória a Verizon, com a Justiça compreendendo que a FCC não teria poderes para impor esse tipo de controle aos provedores de acesso à internet.