Netflix explica como funcionará novo design da plataforma

Por Redação | 25.05.2015 às 12:22

Em março deste ano, um desenvolvedor chamado Renan Cakirerk escreveu uma pequena linha de código que criou um grande impacto no uso da Netflix. Ele criou o "God Mode", uma solução para a visualização do catálogo do site, que muitas vezes pode ser cansativa e exigir paciência. Uma vez ativado, o script dá uma roupagem renovada à plataforma de streaming, simplificando a forma que escolhemos um filme ou série.

Como resposta, a companhia disse que o "God Mode" já é um velho conhecido e que eles já tentaram adaptar o padrão ao site, sem sucesso. Eles ainda disseram que a tentativa foi um desastre.

"É a diferença entre o que as pessoas dizem que querem e o que elas realmente querem. Os consumidores dizem que querem ver cada título de um catálogo, mas quem é que tem tempo para passar por todos os títulos?", indagou Todd Yellin, vice-presidente de inovação da Netflix.

A plataforma de streaming de vídeos começou testando o recurso com pequenas porções de usuários, principalmente os novos, para não confundir os antigos. Contudo, ao invés de fazê-los assistir a mais conteúdo, o visual fez justamente o contrário. Yellin diz que os desenvolvedores chegaram à conclusão de que isso fez com que os usuários ficassem sobrecarregados.

Recentemente, a Netflix consertou uma falha na sua versão para a web e mudou consideravelmente a aparência da plataforma, que já pode ser vista por alguns usuários. Entre as mudanças estão um fundo escuro, mais parecido com a plataforma para smartphones, tablets e computadores.

Yellin disse à imprensa que a companhia não tem a intenção de buscar por mais cliques, pois essa não é uma boa métrica. "Estamos buscando encontrar a pessoa certa para assistir ao programa, porque nós queremos promover os nossos programas para a pessoa certa que realmente vai assistir", comenta.

No ano passado, 12 pesquisadores da Netflix foram encarregados de entrevistar mais de 1.500 usuários para entender a maneira como eles usam a plataforma. Eles também enviaram 15 milhões de questionários por e-mail para determinar qual é a melhor maneira de fazer os usuários assistirem aos vídeos.

Como resultado de toda essa pesquisa, Yellin diz que agora a Netflix passará a mostrar aquilo que as pessoas realmente assistem e não o que elas dizem que gostariam de assistir.

Atualmente, a Netflix tem diversos concorrentes, como o HBO Now, Amazon Prime Instant Video e o Hulu. A companhia tem como objetivo manter os seus 62 milhões de usuários, além de fidelizar os inscritos do primeiro mês gratuito para que passem a pagar pelo serviço.

Fonte: The Verge