Morre o ator Christopher Lee, o Saruman de 'O Senhor dos Anéis'

Por Redação | 11.06.2015 às 10:17

Depois de Leonard Nimoy, o mundo geek acaba perder outra de suas lendas. O ator Christopher Lee, eternizado em papéis como Drácula, o mago Saruman de O Hobbit e O Senhor dos Anéis e Conde Dooku em

Star Wars

não está mais entre nós.

A informação foi liberada na manhã desta quinta-feira, 11 de junho, pelo jornal britânico The Telegraph. Segundo o periódico, Lee faleceu no último domingo (07) e a família optou por trazer a triste notícia somente alguns dias depois para avisar todos os demais parentes, além de evitar um alvoroço entre a imprensa e os fãs nesta hora tão difícil.

A publicação afirma ainda que o ator de 93 anos estava internado em um hospital de Londres há mais de três semanas para tratar de problemas cardíacos e respiratórios.

Sir Christopher Lee nasceu em 1922 e, apesar da avançada idade, ainda continuava bastante ativo no cinema — o que lhe garantiu o título de Comandante da Ordem do Império Britânico por seus feitos no cinema e nas artes. Ele apareceu há pouco tempo nas telonas ao reprisar o papel de Saruman em O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos.

E foi exatamente sua interpretação como o Mago Branco que o apresentou às novas gerações e o colocou de vez como um dos maiores ícones da cultura pop. Além de sua importante participação nas duas trilogias de O Senhor dos Anéis, ele ainda foi o Conde Dooku, o vilão de Star Wars: Episódio 2 - O Ataque dos Clones. Além disso, Lee também emprestava sua voz marcante para uma série de outras obras, incluindo os videogames, interpretando o personagem Ansem The Wise/DiZ na franquia Kingdom Hearts.

Falando na sua voz, Lee declarou ser fã incondicional de heavy metal. Tanto que, no ano passado, ele mostrou para todo mundo como era uma pessoa sensacional ao gravar um disco de metal pesado mesmo com seus 92 anos de idade.

No entanto, apesar das novas gerações terem descoberto o ator com essas produções mais populares, sua carreira data de muito antes disso. Ao longo dos seus mais de 70 anos dedicados ao cinema, ele foi vilão do 007 — uma curiosidade que poucos sabem é que Lee é primo de Ian Flemming, criador do agente secreto — e marcou a década de 50 com clássicos do terror. Além de estar em A Múmia e A Maldição de Frankenstein, foi com O Vampiro da Noite que ele virou um ícone ao trazer uma das interpretações do Drácula mais marcantes da Sétima Arte.

Via: The Telegraph, The Guardian