Josh Greenberg, cofundador do Grooveshark, morre aos 28 anos

Por Redação | 20.07.2015 às 17:30
photo_camera Divulgação

Josh Greenberg, cofundador do serviço de streaming de música Grooveshark, foi encontrado morto em seu apartamento na cidade de Gainesville, na Flórida (Estados Unidos), no último domingo (19). Ele tinha 28 anos e morava com a namorada.

De acordo com o jornal local The Gainesville Sun, Abby Mayer, companheira de Josh, esteve fora durante o final de semana. A mãe do jovem, Lori Greenberg, afirmou ao veículo que o filho não tinha problemas de saúde, nem aparentava ser usuário de drogas. Segundo Lori, Josh estava aliviado com um acordo firmado no final de abril que colocou fim ao Grooveshark. "Ele estava animado com as coisas em potencial que estava prestes a começar", declarou.

Uma autópsia do corpo de Josh deve ser feita ainda nesta segunda-feira (20) para definir as consequências do falecimento do rapaz. Durante uma investigação preliminar, a polícia não encontrou indícios de consumo de drogas ou violência no apartamento, nem sinais de que Josh cometeu suicídio. Os resultados de um exame toxicológico devem ficar prontos em 90 dias.

Junto de Sam Tarantino e Andrés Barreto, Josh fundou o Grooveshark em março de 2006 quando tinha apenas 19 anos de idade e era estudante da Universidade da Flórida. No auge do sucesso, a plataforma tinha entre 35 e 40 milhões de usuários e empregava 145 pessoas, mesmo sem nunca ter autorizações e acordos legais com gravadoras para fazer o streaming das músicas.

Cerca de dez anos após o início das atividades, o serviço foi fechado como parte de um acordo judicial junto às gravadoras, que processavam o programa. Para evitar o pagamento de US$ 736 milhões por violação de direitos autorais, a plataforma concordou em encerrar suas operações e apagar todos os servidores que hospedavam as canções, além de fornecer o domínio e toda a propriedade intelectual do site para as gravadoras.

Poucos dias após ser fechado, o Grooveshark ganhou uma versão não oficial, mas que não demorou muito para ser fechada pelas gravadoras.

Fonte: The Gainesville Sun