Jack Dorsey, CEO do Twitter, deixa lista de bilionários da Forbes

Por Redação | 21 de Janeiro de 2016 às 10h45
photo_camera Social Positives

Esta não tem sido uma semana fácil para o Twitter. Depois de passar por instabilidades que deixaram milhões de usuários sem acesso ao site na última terça-feira (19) e de ter o valor de suas ações novamente reduzido na Bolsa, agora o CEO da empresa, Jack Dorsey, viu sua fortuna cair mais uma vez, tirando o executivo do ranking de bilionários do mundo da tecnologia.

De acordo com a revista Forbes, Dorsey acumulava até setembro de 2015 aproximadamente US$ 2,2 bilhões, em parte graças aos investimentos na rede social de mensagens de 140 caracteres e também pela valorização privada de US$ 6 bilhões de sua outra empresa, a Square. Em novembro, a fortuna do empresário foi reduzida para US$ 1,4 bilhão, logo após as ações do Twitter atingirem seu valor mais baixo, na época US$ 11,20 cada papel. Agora, Dorsey é dono de "apenas" US$ 944 milhões.

A queda no valor de sua fortuna é resultado do mau desempenho do microblog desde que abriu sua oferta de ações (IPO, na sigla em inglês), em novembro de 2013 - pouco mais de um ano depois de Dorsey entrar para a lista de bilionários da Forbes. De lá para cá, o valor por ação caiu 35% em comparação com o preço por ação conquistado pela companhia na sua entrada na Bolsa de Valores de Nova Iorque.

Essa porcentagem é ainda maior (57%) se comparada ao valor por ação praticado durante o ano de 2014. Para se ter uma ideia, em agosto do ano passado, cada ação do Twitter valia o equivalente a US$ 26. Nesta quarta-feira (20), pela primeira vez, esse valor ficou abaixo dos US$ 9. Muitos investidores não se mostram surpresos, pois duvidam da rentabilidade do Twitter e da Square, principalmente frente a rivais como Apple, Google e Samsung na Bolsa. Estima-se que o microblog valha atualmente cerca de US$ 10 bilhões, enquanto a Square menos de US$ 3 bilhões.

O que mais chama atenção é que Dorsey faz parte de uma geração de executivos que lançaram seus produtos em épocas próximas e estabeleceram suas empresas como grandes potências no cenário da tecnologia. Dorsey veio com o Twitter, enquanto Elon Musk ajudou na fundação da Tesla Motors, em 2003, e Steve Jobs apresentou o primeiro iPhone, em 2007.

Atualmente, o Twitter possui cerca de 300 milhões de usuários ativos, mas 2015 foi o ano de menor crescimento do serviço desde o seu lançamento, em 2006. Em contrapartida, outras plataformas sociais, como o Instagram e o WhatsApp, já ultrapassaram a barreira dos 400 milhões cada. Em outubro, Dorsey, que tinha se afastado da liderança da rede social, voltou ao cargo de CEO da companhia.

Fontes: Forbes, Mashable

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.