Internet.org se expandirá no Brasil com apoio de operadores de telefonia

Por Redação | 13 de Maio de 2015 às 07h44

O programa de inclusão do Facebook, o Internet.org, será ampliado em parceria com operadoras de telefonia no Brasil, que oferecerão acesso gratuito a serviços considerados essenciais no celular. De acordo com o diretor do Internet.org, Chris Daniels, a ideia é que os usuários das provedoras parcerias possam acessar de maneira gratuita a Wikipédia, busca do Google, sites de órgãos do governo e educativos, além do Facebook.

O projeto, que já está incorporado no bairro de Heliópolis, zona sul de São Paulo, foi bastante criticado, visto que vai contra a chamada neutralidade da rede, sendo alvo de duras críticas de entidades no Brasil e boicote de algumas empresas na Índia.

Sobre as críticas recebidas por causa do projeto, Daniels disse que as regras da neutralidade de rede deveriam ser flexibilizadas. "Somos apoiadores da neutralidade, mas ela tem que coexistir com iniciativas que conectam pessoas. Precisamos chegar a um acordo, com todos, de que mais usuários de internet beneficiam o país. A neutralidade pode coexistir com projetos de inclusão".

No mês passado, a startup indiana Cleartrip seguiu os passos de outras três empresas que originalmente aderiram ao Internet.org e rompeu com a iniciativa após uma ampla repercussão negativa no país.

"Estamos em conversas com as operadoras para lançar [a outra fase do projeto] assim que elas estiverem prontas para isso", afirmou Daniels ao jornal Folha de S.Paulo. "Estamos com todas as operadoras no mercado e queremos que esteja disponível por meio de todas elas".

O executivo afirmou que instalação do Wi-Fi em Heliópolis está programada para terminar entre junho e setembro deste ano. Ele não detalhou sobre como funcionará o serviço, mas mencionou a possibilidade de levar Wi-Fi para outros lugares no Brasil. "Dados móveis são caros e queremos empoderar as pessoas com informações de trabalho, saúde, educação, etc", afirmou. "No futuro, poderíamos lançar em outras áreas, onde não há conectividade ainda".

A instalação do Wi-Fi em áreas mais amplas costuma ser mais cara que redes 2G e 3G por demandar um maior número de antenas. No entanto, geralmente a velocidade é mais alta. O projeto do Facebook já foi implantado em outros países, além do Brasil: Bangladesh, Colômbia, Filipinas, Gana, Guatemala, Índia, Indonésia, Quênia, Tanzânia e Zâmbia.

Há cerca de um mês, a presidente Dilma Rousseff anunciou uma parceria ao lado de Mark Zuckerberg, fundador da rede social, para outra vertente do Internet.org, a de conectividade para áreas remotas. Para conseguir levar a internet para lugares isolados, como comunidades que vivem na Amazônia, a empresa americana está testando o uso de drones, além de outras tecnologias. O Google, com o Project Loon, tem objetivos semelhantes ao Internet.org, no entanto emprega balões para tentar levar conectividade para populações que vivem isoladas.

De acordo com números do Facebook, apenas 10% da população mundial vive em regiões não atendidas por uma rede 2G. Cerca de 55% vive com a possibilidade de se conectarem à tecnologia 3G, mais rápida e estável. Atualmente, o padrão comercial mais avançado disponível é o 4G, muito mais veloz que as gerações anteriores.

No início do mês, a empresa anunciou a abertura do Internet.org a desenvolvedores para que eles possam criar serviços baseados no sistema, em teoria com apelo social e que se beneficiariam da gratuidade do tráfego de dados. Daniels afirma que o Facebook não reembolsa às operadoras por causa da troca de dados geradas pelos usuários do Internet.org, mas que as operadoras acabam ganhando mais clientes, visto que eles podem se interessar em adquirir um plano de "internet mais amplo".

"Não pagar as operadoras alinha a motivação de todos os envolvidos e prova que isso funciona", afirma o executivo. De acordo com cálculos do Facebook, o Internet.org já criou cerca de 8 milhões de novos assinantes para as operadoras nos países onde atua. O número total de beneficiados pelo projeto já chega a 800 milhões.

Via Folha de S.Paulo

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/tec/2015/05/1627686-projeto-de-inclusao-do-facebook-sera-expandido-no-brasil-com-operadoras.shtml

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.