Homem cria campanha de financiamento coletivo para pagar dívida da Grécia

Por Redação | 01 de Julho de 2015 às 15h47

O Brasil não é o único país a passar por uma crise. Além de nós, a Grécia também está enfrentando momentos complicados em sua economia. E, enquanto o governo local decide se paga ou não a dívida de 1,6 bilhão de euros ao Fundo Monetário Internacional (FMI), um grupo decidiu se unir na internet para fazer uma vaquinha e cobrir esse valor.

Assim como acontece quando um amigo seu está passando por dificuldades e você dá um dinheiro para ajudá-lo a sair daquela situação, o inglês Thom Freeney começou uma campanha no IndieGoGo para tentar tirar o país do buraco e ajudá-lo a pagar o total devido ao FMI. Isso mesmo: um homem está chamando pessoas do mundo inteiro para impedir que a Grécia dê um calote.

E o mais impressionante disso tudo é que, apesar de estarmos falando de uma soma assustadoramente alta — o débito do país é de, aproximadamente, R$ 5,5 bilhões no câmbio atual —, muita gente não se intimidou e contribuiu com a iniciativa. Até o fechamento deste texto, mais de 60 mil pessoas haviam doado e arrecadaram cerca de 1 milhão de euros (R$ 3,4 milhões) em apenas três dias.

Grécia

Por mais que isso não represente nem mesmo 1% da meta, não há como ignorar as boas intenções de Freeney e de todos aqueles que contribuíram. Tanto que, segundo o site Ars Technica, o site do IndieGoGo chegou a ficar fora do ar devido ao grande número de acessos logo após o lançamento do projeto.

Na descrição da campanha, seu idealizador cita que toda a população da União Europeia poderia ajudar a Grécia sem precisar gastar muito, bastando que cada pessoa doasse 3 euros para o país vizinho. Assim, nada mais lógico do que romper as barreiras do continente e levar essa possibilidade para o mundo todo.

Para se encaixar dentro da proposta do IndieGoGo, ele teve de improvisar na hora de oferecer as recompensas a quem ajudou. E esses brindes vão desde o envio de cartões postais e azeite de oliva até uma semana de férias em Atenas. O mais curioso é que a doação máxima de 1 milhão de euros não oferece nenhum prêmio exclusivo, mas garante o "agradecimento de todo o povo da Europa e particularmente da Grécia".

Diante disso tudo, o próprio CEO da plataforma de arrecadação coletiva, Slava Rubin, comentou o assunto. Segundo ele, se a campanha de Thom Freeney atingir sua meta, o site vai ajudar o responsável pela iniciativa a entrar em contato com o governo grego para encontrar a melhor forma de fazer essa bilionária doação.

E, para quem acredita que isso é apenas mais uma brincadeira que quer se aproveitar de um assunto em voga, o próprio Freeney dá o recado. Para ele, apesar de a proposta poder ser interpretada como uma piada, o crowdfunding é algo que pode ser usado também para ajudar em casos como esse e que só depende de as pessoas darem o primeiro passo e pensarem em ajudar quem precisa.

Além disso, ele explica que fez isso de maneira independente e não entrou em contato com nenhum político ou membro do governo da Grécia — o que justifica a promessa do presidente do IndieGoGo nessa tarefa.

Ainda assim, uma causa justa e que vale a pena ser apoiada.

Via: IndieGogo, Ars Technica

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!