Grupo brasileiro no Telegram declara apoio ao Estado Islâmico

Por Redação | 18 de Julho de 2016 às 19h07
photo_camera Divulgação

Faltando menos de 20 dias para o início dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro, autoridades de órgãos de inteligência no Brasil e no exterior estão atentas para possíveis atos terroristas no país. E o risco é ainda maior porque a entidade americana SITE Intelligence Group, especialista em monitoramento de atividades terroristas na web, anunciou nesta segunda-feira (18) que um grupo extremista brasileiro declarou lealdade ao Estado Islâmico (EI) e criou um canal aberto no aplicativo de mensagens Telegram.

De acordo com Rita Katz, diretora do SITE, o canal se chama Ansar al-Khilafah Brazil, e esta é a primeira vez que uma organização na América Latina anuncia uma aliança ao líder do EI, Abu Bakr al-Bakr al Baghdadi. Na página aberta dentro do Telegram, os integrantes afirmam que "se a polícia francesa não pode impedir os ataques na França, então seu treinamento para a polícia brasileira não servirá". Isso é uma referência ao apoio que agências internacionais de inteligência têm oferecido ao governo brasileiro na prevenção de ataques terroristas durante as Olimpíadas.

Katz ainda alega que o grupo está aproveitando o momento para espalhar a ideologia extremista antes da competição esportiva. No fim de maio, o EI criou o primeiro canal em português da organização, também dentro do Telegram. A página, para propaganda do califado, é uma versão em português do já existente Nashir Channel, e a abertura do serviço foi confirmada em junho pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

Até o momento, a Abin não se pronunciou sobre a suposta aliança de um grupo no Brasil ao Estado Islâmico, mas tudo indica que a conta poderia ser usada principalmente para recrutar brasileiros para atuar em nome do grupo extremista no país.

Na semana passada, a Assembleia Nacional da França publicou o relatório de uma audição com o chefe da Direção de Inteligência Militar (DRM), general Christophe Gomart, no qual o especialista admitia ter informações de que o Estado Islâmico planejara um atentado contra a delegação francesa durante os Jogos. As Olimpíadas do Rio de Janeiro vão acontecer entre os dias 5 e 21 de agosto.

Além disso, o Centro Integrado Antiterrorismo (Ciant), que tem sede em Brasília, fez um monitoramento nos pedidos de credenciamento para Olimpíada e descobriu que 40 pessoas estão com alertas a respeito de cooperação internacional – e que quatro delas têm comprovadamente ligação com o terrorismo. Não foram divulgadas suas nacionalidades por questões de segurança, mas sabe-se que elas tiveram as credenciais negadas e que estão sendo monitoradas pelos serviços internacionais de inteligência.

Caça aos terroristas

Além das agências de inteligência, o próprio Telegram tem tentado contribuir para desativar qualquer grupo ligado ao Estado Islâmico ou que faça referências aos extremistas. Desde novembro do ano passado, a companhia responsável pelo aplicativo tem implementado novas ferramentas para identificar integrantes do grupo terrorista. A empresa também disponibilizou um novo sistema para facilitar as denúncias de qualquer conteúdo considerado "censurável", incluindo mensagens relacionadas a esses grupos.

Fontes: G1, Veja

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.