Google Search está exibindo resultados de buscadores de terceiros na Europa

Por Rafael Arbulu | 24 de Fevereiro de 2020 às 17h30
Tudo sobre

Google

Saiba tudo sobre Google

Ver mais

O Google está identificando, na Europa, resultados de busca vindos de buscadores internos posicionados dentro de sites de algumas empresas, segundo o MSPowerUser. No Velho Continente, companhias como Yelp e outras de variados segmentos acusavam a gigante de Mountain View de vasculhar seus resultados internos e apresentá-los aos usuários como se fossem seus, prontificando legisladores a estudar a aplicação de leis antitruste contra a gigante das buscas.

A medida do Google, ao que parece, vem como uma forma de se antecipar ao problema. As reclamantes diziam que, por causa das ações da empresa, o tráfego e o volume de audiência dos seus respectivos sites caíram “drasticamente”, com elas afirmando que a prática do Google não apenas o colocava em posição dominante como “fornecedora de tecnologia de busca”, mas sim como “fornecedora de um negócio”.

Não muito diferente das normas similares em outros países/continentes, a Lei de Concorrência da União Europeia prevê o impedimento da dominância completa de um nicho de mercado por parte de uma empresa (estatal ou privada), promovendo a concorrência entre companhias e levando mais opções de consumo ao cidadão. A mudança do Google prevê uma maior obediência a este enunciado.

Nova página de resultados do Google Search na Europa: mudança prevê maior obediência à lei antitruste do Velho Continente, mas pode não ser suficiente para acalmar legisladores (Imagem: Reprodução/MSPowerUser)

Na página de busca em si, o Google passou a exibir links que levam às páginas internas das empresas que oferecem um mecanismo interno do tipo. Isso é exibido via um módulo acima dos resultados impressos na página, similar aos “cartões de conhecimento” que você vê quando faz uma busca e o Search exibe pequenas anedotas informativas sobre o assunto.

Vale ressaltar, porém, que a mudança só tem impacto quando a busca é feita pela página do Google Search. Pesquisas feitas pela barra de endereços do navegador continuam revertendo tudo para os resultados exibidos via Google.com, estes sendo de outras empresas ou não.

Não se sabe se a medida vai funcionar, já que o Google tentou a mesma coisa em 2013 apenas para ver a chefia da Lei Antitruste europeia dizer que os esforços foram notados, porém, insuficientes. Sete anos mais tarde, é provável que a empresa de Mountain View tenha que fazer algo mais.

Vale lembrar: a mesma lei foi usada para aplicar uma multa de € 1,5 bilhão no Google, por práticas anticompetitivas referentes ao sistema operacional móvel Android.

Fonte: MSPowerUser

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.