Google está removendo "pornô de vingança" dos seus resultados de busca

Por Redação | 19.06.2015 às 15:49 - atualizado em 31.07.2015 às 16:46

Em um passo significativo para combater a "pornografia de vingança", o Google anunciou publicamente que vai atender aos pedidos de remoção de imagens de nudez ou sexo explícito compartilhado, sem o consentimento da vítima, dos seus resultados de busca.

O gigante da web disse que vai tratar esse tipo de pedido da mesma maneira como faz com outros tipos de informações pessoais altamente sensíveis, como números de contas bancárias, por exemplo. "Nossa filosofia sempre foi que a pesquisa deve refletir toda a web, mas as imagens de 'pornô de vingança’ são intensamente pessoais e emocionalmente prejudiciais, e servem apenas para degradar as vítimas – predominantemente mulheres", explicou Amit Singha, vice-presidente sênior de pesquisa do Google em um post no blog da empresa.

O Google diz saber que sua atitude não irá resolver o grave problema da pornografia de vingança, afinal a imagem não será removida do seu site de origem, mas o fato da imagem não aparecer nos resultados do maior site de pesquisa do mundo já é um grande passo. As vítimas poderão apresentar seus pedidos por meio de um formulário online que será disponibilizado nas próximas semanas.

Diversas empresas do setor de tecnologia têm enfrentado grande pressão da opinião pública para derrubar fotos íntimas postadas sem o consentimento das pessoas e remover o link para esse conteúdo – e isso é ótimo. Na última semana, Kevin Bollaert, responsável pelo site de pornô de vingança UGotPosted, foi condenado a 18 anos de prisão e ainda terá que pagar US$ 100 mil em indenizações para as vítimas que moveram uma ação conjunta contra ele.

Fonte: Google