Fundador do PayPal doa US$ 1,2 mi para Trump e serviço sofre as consequências

Por Redação | 17.10.2016 às 21:05

Já dizia o velho sábio que misturar política com negócios nunca foi uma boa ideia. E agora, Peter Thiel, fundador do PayPal, está sentindo na pele as consequências de ter doado uma quantia gorda à campanha de Donald Trump, candidato à presidência dos Estados Unidos. Vários internautas se revoltaram e iniciaram uma onda de boicotes ao serviço, começando pelas redes sociais.

Antes, vale lembrar que Thiel fundou a plataforma, mas hoje em dia não tem mais nenhuma ligação com ela. Atuando como investidor na indústria da tecnologia, o bilionário resolveu apoiar a campanha de Trump com uma doação de US$ 1,25 milhões, sendo um dos raros executivos do Vale do Silício a concordarem com as propostas do candidato. Porém, infelizmente, os internautas levaram a doação de Peter muito a sério e acabaram por prejudicar o serviço, que nada tem a ver com o caso.

A onda de boicotes começou assim que a notícia se espalhou pela mídia. Pelo Twitter, usuários criaram a hashtag #BoycottPayPal (boicote ao PayPal) e postaram frases de efeito, enquanto outros fizeram questão de lembrar que a plataforma não pertence mais ao executivo desde 2002 e que agora ela é de capital aberto, chamando toda essa confusão de "bagunça".