Estudo afirma que IoT pode acrescentar US$ 352 bilhões à economia brasileira

Por Redação | 11 de Junho de 2015 às 15h24

Uma pesquisa realizada pela Cisco mostra que a Internet das Coisas pode acrescentar US$ 352 bilhões à economia brasileira até o final de 2022. Cerca de US$ 70 bilhões de dólares deste total serão relacionados a projetos no setor público e outros US$ 282 bilhões a partir da iniciativa privada.

Atualmente, o Brasil responde por mais de um terço de um montante de US$ 860 bilhões de dólares estimados ao conceito que a IoT deve adicionar à economia da América Latina. O México é o segundo país com maior potencial da região, totalizando US$ 197 bilhões de dólares em oportunidades.

Do número total previsto para a região, a manufatura latino-americana é a em que se encontra uma maior possibilidade de incremento de receitas a partir de projetos que envolvem o conceito, sendo US$ 226 bilhões de dólares.

O governo pode ganhar, sozinho, US$ 163 bilhões com projetos da Internet das Coisas. O setor de finanças deve arrecadar US$ 58 bilhões, o de energia US$ 38 bilhões e o de transporte US$ 15 bilhões.

Jordi Botifoll, presidente da Cisco para a região, diz que "a América Latina está na vanguarda da Internet das Coisas", afirmando ainda que viu as iniciativas que envolvem o conceito crescerem 186% em relação a 2014. Ele justifica os números dizendo que a produtividade é pequena e as cidades da região são caóticas.

A Cisco também cita alguns marcos do avanço da Internet das Coisas na América Latina, como um projeto de smart grid com a Eletrobrás, uma solução de conectividade no Aeroporto de Guarulhos e iniciativas de smart cities em Brasília e São Paulo.

Fonte: CIO

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.