Emma Watson é listada nos Panama Papers como dona de empresa no exterior

Por Redação | 11 de Maio de 2016 às 18h15
photo_camera Divulgação

Emma Watson é a mais recente celebridade a aparecer na lista conhecida como Panama Papers, a qual consiste em informações vazadas na web sobre indivíduos afortunados que mantêm contas no exterior. Segundo a lista, a atriz conhecida por interpretar a bruxinha Hermione na série de filmes Harry Potter é proprietária de uma empresa localizada nas Ilhas Virgens Britânicas.

Embora possuir contas em outro país não seja, em si, uma atividade criminosa, o referido rol divulgado pelo Consórcio de Jornalismo Investigativo no início do mês passado indica vários dignitários que buscaram formas de paraísos fiscais para além de suas fronteiras. Em nota oficial, um representante de Watson afirma que a manutenção da empresa em solo internacional tem por objetivo apenas manter a privacidade da atriz.

“Emma não recebe quaisquer taxas ou vantagens monetárias dessa empresa — apenas privacidade”, diz o texto. O porta-voz acrescenta que a atriz já foi prejudicada por pedidos de divulgação de acionistas no passado, a despeito de boa parte da informação sobre o empreendimento ser mantido acessível ao público.

Panama Papers

A empresa em questão leva o nome de Falling Leaves e foi fundada em 2013, pouco antes de a atriz adquirir uma propriedade em Londres. Estima-se que a receita obtida por Emma fique próxima dos US$ 50 milhões.

Dezenas de famosos em busca de privacidade

Embora nem sempre seja fácil diferenciar “focinhos de tomadas”, Emma Watson certamente aparece em uma lista que inclui milhares de empresas de fachada, fundações e fundos criados em 21 paraísos fiscais ao redor do globo. No total, mais de 11 milhões de documentos confidenciais vazaram do escritório de advocacia panamenho Mossack Fonseca.

Panama Papers

Entre magnatas, atores, dignitários e chefes de estado, há nomes como Vladmir Putin, Simon Cowell, Lionel Messi e Jackie Chan. Embora se fale em indícios de que a empresa teria ajudado clientes a evitar sanções e pagamentos de impostos, todas as acusações foram negadas pelo escritório, que afirma operar na legalidade há 40 anos.

Via Tech Times.