Elon Musk: "Google está criando robôs que podem destruir a humanidade"

Por Redação | 26 de Maio de 2015 às 08h16

Assustado. É assim que podemos definir a sensação de Elon Musk no que diz respeito ao desenvolvimento de inteligência artificial. Mais uma vez, o CEO da Tesla manifestou sua preocupação quanto ao assunto, mas desta vez o bilionário citou o Google. Para o executivo, a companhia de Mountain View está arriscando o futuro da humanidade ao criar máquinas que um dia podem se tornar mais espertas que seus criadores.

Em seu novo livro, chamado Elon Musk: Tesla, Space X and the Quest for a Fantastic Future ("Elon Musk, Tesla, Space X e a busca por um futuro fantástico", na tradução livre), o empresário conta que um de seus maiores medos é Larry Page. Embora os dois sejam bastante amigos, Musk diz que "não está tão otimista" quanto às criações de Page em relação à inteligência artificial e que, mesmo com boas intenções, "ele pode criar algo ruim por acidente".

O medo do bilionário é tanto que ele acredita que a ingenuidade de Page levará o planeta à ruína, uma vez que especialistas e várias pessoas influentes alertam para os problemas que a inteligência artificial pode causar. "Page está longe de ser um Dr. Evil, mas tenho que dizer que estou verdadeiramente preocupado. O Google adquiriu mais de uma dúzia de empresas de robótica até agora, mas o objetivo deles com este tipo de tecnologia continua sendo pouco claro", disse Musk.

No entanto, Larry Page pensa diferente do amigo. Na opinião do cofundador da gigante das buscas, a inteligência artificial vai transformar o mundo por completo, substituindo diversos empregos que existem atualmente, mas permitindo que o custo de vida seja muito menor. "A implementação em larga escala da IA irá mudar a sociedade como a conhecemos", comentou o executivo ao Financial Times, em novembro do ano passado.

Esta não é a primeira vez que Elon Musk manifesta seu interesse em discutir os perigos da inteligência artificial. Em outubro de 2014, durante uma conferência no MIT, ele disse que "se tivéssemos que adivinhar quais são as maiores ameaças ao ser humano no momento, certamente essa seria ela". Para Musk, trabalhar com esse tipo de tecnologia é como "invocar nosso pior demônio", além de defender a regulamentação e supervisão a nível nacional e internacional de pesquisas dessa natureza.

Em janeiro deste ano, Musk anunciou uma doação de US$ 10 milhões para o Future Life Institute com o objetivo de ajudar um programa com foco no desenvolvimento benéfico da inteligência artificial para os humanos. Na época, Musk disse que a ideia é que o projeto assegure o domínio dos seres humanos sobre as máquinas e evitar que elas superem o nosso conhecimento.

Outro grande nome da indústria que é contra o desenvolvimento da inteligência artificial é Bill Gates. O cofundador da Microsoft se mostrou assustado com o fato de que ninguém está muito preocupado com o que está acontecendo e que esta área da tecnologia precisa de atenção redobrada para evitar um colapso para as futuras gerações. Essa é a mesma opinião de Steve Wozniak, cofundador da Apple, que declarou que a inteligência artificial é "assustadora".

Stephen Hawking também é outra personalidade que prevê um cenário digno de filmes como Matrix e O Exterminador do Futuro. Na visão do físico britânico, as máquinas evoluiriam de uma forma tão grande e em ritmo crescente que os humanos, limitados pela evolução biológica lenta, não conseguiriam competir com esses gadgets e seriam substituídos nas empresas, escolas, lojas e outros locais que hoje dependem do atendimento de pessoas reais.

Fonte: Business Insider

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.