Cuba vai ganhar primeira rede Wi-Fi pública

Por Redação | 19 de Junho de 2015 às 11h14

Um dos principais reflexos da abertura econômica pela qual Cuba está passando é a possibilidade de conectar cada vez mais pessoas. E, agora, o próprio governo está fazendo um esforço nesse sentido, anunciando que, no mês que vem, iniciará o processo de criação de sua primeira rede Wi-Fi pública, que permitirá aos cidadãos o acesso à internet a partir de 35 locais espalhados pela ilha.

O preço do acesso é de US$ 2 a hora, um valor que pode até parecer baixo, mas acaba sendo proibitivo para alguns cubanos num país em que o salário médio é de US$ 20. A infraestrutura também é precária, já que, em Cuba, mesmo as redes de velocidade mais alta obtêm apenas alguns megabytes por segundo. No caso da rede pública, a taxa será de 1 Mbps, com suporte a até 100 usuários conectados por vez. É precário, mas sem dúvida um começo.

O sistema funcionará mais ou menos como um celular pré-pago. Os usuários poderão adquirir cartões de recarga nos próprios pontos de acesso ou em estabelecimentos comerciais credenciados pela ETECSA, a estatal que opera os serviços de telecomunicações na ilha. Ao acessarem a rede, eles terão acesso ao tempo restante na conta e também ao utilizado, fazendo a gestão de acordo com isso.

Nas contas do governo, são cerca de 800 mil usuários de internet hoje em Cuba, um número que as autoridades esperam ver aumentar com a instalação dos hotspots. Por isso mesmo o investimento na abertura dos pontos de acesso também acompanha um trabalho de melhoria nos serviços de e-mail e em toda a infraestrutura que permite o acesso, de forma a suportar todo esse crescimento.

O grande foco, logicamente, são os mais novos. O governo cubano espera que a maioria dos acessos aconteça entre adolescentes e jovens adultos, principalmente por meio de smartphones. Foi o que se viu, por exemplo, quando o artista cubano Kcho criou o que foi o primeiro ponto de Wi-Fi gratuito do país, na capital Havana, e permitiu que as pessoas entrassem em seu estúdio de criação para acessarem a internet.

E a ideia, claro, é ampliar os pontos de acesso no futuro próximo. Primeiro, porém, a ETECSA quer garantir que o serviço funcione bem para todos e, quem sabe, até investir na redução do preço. Mas isso é um papo para mais adiante, já que, para agora, a ideia é investir na manutenção e expansão das plataformas que vão existir e devem estar disponíveis para os cidadãos nas próximas semanas.

Fonte: Juventud Rebelde, Engadget

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.