Com 1,5 milhão de assinantes, YouTube Red ainda sofre para decolar

Por Redação | 03.11.2016 às 10:15 - atualizado em 03.11.2016 às 10:31
photo_camera Reprodução/Youtube

Em outubro do ano passado, o Google lançou o YouTube Red, um sistema de associação à sua plataforma que permitia aos assinantes ver conteúdos exclusivos e usar o app para celular como um serviço de streaming de música, tudo sem qualquer tipo de publicidade. O plano era que o serviço crescesse a ponto de se tornar um potencial concorrente do Netflix e Hulu.

Mas, depois de um ano, parece que o gás do YouTube Red está acabando. O serviço não só não recebeu nenhuma injeção significativa de novidades de lá para cá, como conquistou apenas 1,5 milhão de assinantes. O resultado mostra que o YouTube ainda tem um longo caminho a percorrer até que o público aceite pagar uma taxa mensal pelo Red, visto que mais de 1 milhão de usuários se inscreveram em uma base experimental, sem custo.

Apesar do insucesso, ainda há esperança para o YouTube, visto que o Red só foi lançado em quatro países até agora - EUA, México, Austrália e Nova Zelândia - o que significa que o serviço não está disponível para todos os mais de 1 bilhão de usuários mensais do YouTube.

Em uma declaração ao site The Verge, o YouTube disse que está feliz com o crescimento do Red, e que continua a investir no serviço. "Estamos satisfeitos com o impulso por trás do YouTube Red e estamos vendo crescimento saudável de usuários a cada mês", disse um porta-voz do YouTube. "Apesar de não divulgar ou comentar números especulativos, estamos vendo um forte engajamento do serviço nos quatro países que lançamos, levando-nos a investir em mais séries e filmes originais para 2017 e aumentar o marketing do YouTube Music."

Fonte: The Verge