Chrome terá melhorias no bloqueador de pop-ups e impedirá redirecionamentos

Por Redação | 08 de Novembro de 2017 às 15h00
Tudo sobre

Google

A Google está, mais uma vez, de olho nos comportamentos abusivos exibidos pelos responsáveis por muitos serviços online. Nas próximas duas atualizações do Chrome, que chegará às versões 64 e, posteriormente, 65, o bloqueador de pop-ups receberá melhorias, assim como o navegador sofrerá mudanças para impedir redirecionamentos indevidos e a atualização de páginas contra a vontade do usuário. Tudo a ser aplicado na versão desktop do navegador.

A principal mudança está nesse segundo quesito, com o browser passando a contar com uma experiência amplamente baseada em textos informativos, com comportamento que dependerá de autorização. Sempre que um redirecionamento ou abertura de abas sem autorização for detectado, o usuário será informado sobre isso e poderá optar por não permitir a mudança na página, a não ser, claro, que ele já tenha interagido com ela antes.

A Google citou alguns exemplos de comportamentos que serão bloqueados de agora em diante, como botões de reproduzir vídeo que, na verdade, levam o usuário a uma página de downloads normalmente maliciosos, ou indicações de “clique aqui para fechar” falsas, que servem, na verdade, para gerar cliques inválidos em propagandas e gerar tráfegos em sites de terceiros.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Além disso, sites que abrem múltiplas abas para produção de propagandas ou tentam transferir a navegação naquilo que o utilizador efetivamente deseja visualizar, enquanto a original é redirecionada para um conteúdo indesejado. De acordo com a gigante, essa seria uma maneira de burlar os bloqueios de pop-up já existentes nos navegadores, uma atitude que, agora, passa a estar na mira.

Todas se encaixam no que a companhia cita como experiências abusivas, um tipo de conduta que foi obtida de acordo com o feedback prestado pelos usuários. De acordo com os números divulgados pela Google, um em cada cinco internautas encontrou problemas desse tipo durante sua experiência online, o que motivou o desenvolvimento das mudanças.

Entretanto, ao mesmo tempo, a Google também descobriu que muitos desses comportamentos não estão necessariamente ligados à conduta dos responsáveis pelas páginas em si, mas sim, dos serviços de anúncios de terceiros que eles utilizam. Ainda assim, a ideia da empresa é coibir tais práticas e, para isso, pede que os webmasters se adequem às novas normas.

Por conta disso, a segunda grande mudança, relacionada ao bloqueador de pop-ups aprimorado, deve demorar um pouco mais para chegar. A Google liberou um guia de melhores práticas e também uma página de diagnóstico de experiências abusivas, para que os donos de sites possam avaliar se suas páginas apresentam algum tipo de comportamento que fuja das normas, que serão aplicadas em janeiro.

As alterações mais profundas, então, chegam no começo do ano que vem. Inicialmente, a Google não falou nada sobre danos ao ranquemento de sites que insistam nas práticas abusivas, com as páginas tendo apenas seu comportamento bloqueado pelo navegador. Entretanto, mudanças desse tipo já aconteceram antes com outros tipos de conduta, portanto, a sugestão é que webmasters e editores de conteúdo se adequem para evitar problemas em seus domínios.

Fonte: Google

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.